20/06/14

Voltando à ativa ao som de Iggy Azalea! Saiba mais sobre ela!



Bom gente, algumas pessoas devem ter notado (ou não) que eu fiquei alguns meses sem postar aqui, mas finalmente estou de volta! Tenho estado com a cabeça cheia até demais de ideias e assim que eu conseguir organizá-las, bora lá. Inclusive já preparei um ou outro texto para postar aqui, mas hoje para não perder o costume vim falar de algum vício musical recente: Iggy Azalea.

Depois de algumas semanas sem ouvir outra coisa além de "Work" decidi pesquisar outras coisas sobre a música e a vida dessa moça tão, hm, notável. Percebi que não sou o único, e há razões para isso.

Seu nome verdadeiro é Amethyst Amelia Kelly, sendo "Iggy" o nome de seu cachorro de infância e "Azalea" uma referência à rua onde ela nasceu, Azalea Street. Esse lugar onde ela nasceu, aliás, é a Austrália. Na adolescência, a ainda Amethyst trabalhava limpando quartos de hotéis, assim como sua mãe; seu pai era pintor e desenhista. Ainda pouco antes dos dezesseis anos, Iggy largou a escola porque só servia para fazê-la infeliz (tamo junto, gata) e foi para os Estados Unidos sozinha tentar seguir sua carreira como rapper (é das minhas, definitivamente).

Não preciso dizer que a estrada desde então foi longa e tortuosa: adolescente estrangeira viaja para os EUA para seguir carreira no mundo artístico, quantos filmes vintage já não fizeram sobre isso? Iggy Azalea, entretanto, conseguiu -- e deixa bem claro em suas letras o quão difícil foi para chegar ao sol. Seu som mistura hip hop com eletrônica e eu particularmente recomendo além da já citada "Work", "My world" e "Don't need yall".

Uma razão especial para falar dela justamente hoje é o fato do lançamento essa semana do videoclipe do T.I., "Mediocre", no qual ela faz parceria AQUI NUMA QUEBRADA DOS HUE BR BR. Confira!



(Encerrando com um Fancy para não dizer que não falei das flores, digo, das australianas)

22/04/14

Re



Todas as coisas me remetem a você de uma forma tão dolorida que eu começo a repensar se realmente reataríamos. E aí relembro de todos os motivos relevantes para te ter comigo. De todas as reações químicas, físicas; e depois de todas as reformas que eu precisei fazer em mim por você. De todas as vezes que revi o meu vocabulário para redizer que te amo. De quando você renovou e refez toda a minha vida quando ressurgiu dos meus devaneios para a realidade. De me revirar na cama para encontrar você, respirando, tão perto de mim - e seus olhos reluzentes, ora fechados, ora entreabertos; recíprocos. De me retorcer de dor por ver você partir. De beijar cada canto do seu rosto quando você retornava. Lembro-me de revisar palavra por palavra de cada carta que destinei, e chorar por reler todas que você me remeteu. De querer que o nome do meu gato fizesse referência ao seu. E sem mais delongas ou remorso, reconhecer que quero recitar-lhe cada oração, cada vírgula; cada reticência antes do ponto final. Eu insisto em reviver-te. Revelar que gostaria de arrancar qualquer resquício de idéia de retrocesso. Pedir para que revolva.
© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.