19/11/2008

"Sem título"

Ficarei o resto da minha vida tentando dizer o que eu sinto .
Nada mais faz sentido.
Como se tudo fosse se resolver enquanto eu dormisse : eu acordaria e estava no lugar .
Mas essa esperança das coisas se ajeitarem foi se entingüindo.

Por enquanto , uma única música toma conta de mim .
Uma única essência .
Que com o tempo , veio se transformando eu ausência .
Já não cabe mais a mim escrever para que os outro lêem ,
mas sim , para mim mesma me achar no meio de meu própio mundo .

Em conseqüencia , venho caindo dolorosamente nas fendas da minha própia cabeça ,
sendo engolida por coisas que um dia eu mesma construí.
Tenho medo de me arrepender do que eu fiz .
Mesmo que eu me afogue nisso tudo .

Trinta e quatro dias se passaram .
Mas eu ainda tenho em mente seu cheiro ,
seu beijo , você .
Mas acho que tudo isso já não vale tanto a pena .

Como saberei se algo é bom pra mim se não pode me pertencer ?
Ah ... como eu queria que tudo fosse mais fácil .
Já não consigo mais parar de pensar em você ,
seu nome já não pronuncio em segredo ...
sua voz ainda me provoca arrepios , o que eu mais espero é a sua presença .

Eu luto contra tudo isso .
Eu luto contra tudo isso .

Mas tudo isso me vence.

Já cansei dos meus refrões , já cansei das minhas paixões .
Queria matar um a um .
Queria sair correndo .
Queria largar tudo isso .
Cansei dos meus refrões .
Cansei das minhas paixões .

Mas são nos refrões que eu me acho .

Porque parece que eu já vivi isso tudo .
Porque parece que eu já me cansei .
Apesar disso mal ter começado.

A única coisa que termina agora é uma música que eu ouço .
Uma música que me lembra coisas boas .
Mas uma música não muda uma vida ; pois músicas são construídas de refrões .
E refrões ... como se ninguém soubesse ... são construídos de paixões .
E é isso que eu quero extingüir de mim : os refrões e as paixões .
Faça o seu comentario!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.