30/12/2009

EU ODEIO FIM DE ANO, E EU SÓ LEMBRO DISSO QUANDO É FIM DE ANO.

Estou sentindo uma vontade enorme de me tornar a garota malvada da história, abrir a bolsa da minha mãe, fazer a limpa e voltar pra BH pra, quando eu chegar lá, meu pai me mandar de volta pra Sete Lagoas, e me deixar passar MEU 7 de janeiro chorando, chorando e chorando.

Estou em ponto de bala, digo, em ponto de loucura.

Vou fazer greve de blog.

23/12/2009

2010 e coisas do gênero.

Têm certas coisas que estão na minha cabeça agora.
Uma delas é que só faltam praticamente 2 anos pra 2012. A outra é que eu me sinto diferente. Diferente e instável. Odeio instabilidade.
Meu pai vai chegar amanhã, vou passar dia 7 de janeiro dormindo, ultimamente venho querendo muito meu All Star amarelo de cano médio e quero muito ir pra escola, mesmo que minhas férias nem tenham começado direito...

Mas eu prefiro pensar em nada disso. Prefiro desocupar a minha mente, só pra pensar em uma coisa só. A única coisa, digo, pessoa, que conseguiu me fazer sorrir depois das 9 da noite só por ter aquela voz quase grave perfeita, a unica coisa que eu podia sentir, de longe.
Uma coisa que eu descobri esse ano sobre isso é que nada vai fazer o que eu sinto mudar. Não sei se devo levar como problema.

Na verdade, o Beto não queria falar comigo. Foi armação do Ícaro pra gente conversar alguma coisa, só que não deu certo. Eu prefiro ficar sozinha agora.

Eu tenho alguém pra ocupar minha cabeça e gastar conta de telefone, e, mesmo que isso tudo me fruste muito, é bom.

Eu devia falar sobre minhas espectativas, descobertas, desejos, e essas coisas, mas eu prefiro entrar pra "Religião do Destino", e deixar que as coisas aconteçam.
Sabe, to na fase de tudo novo, não vou ficar presa às coisas que aconteceram, agora, o que eu vou fazer é pensar positivo; só isso.
É o melhor que eu faço.

As coisas estão no lugar (inclusive o Sérgio, que está sempre por perto). Não tem o por quê eu estragar tudo, concordam ?

22/12/2009

Buscando Felicidade em Sete Lagoas

Depois de passar quase três dias completos aqui, as coisas não estão tão ruins assim, sabe?
Eu já fui no centro por uma carta no correio, vi a minha futura escola de longe, ajudei minha mãe com a faxina e até lavei a louça hoje.
Tenho a impressão de que, em partes, eu serei feliz aqui.
Minha mãe tá louca atrás de uma cota (é assim que escreve?) de um clube pra gente ir quando tiver à toa, porque faz muito calor aqui, vocês não têm noção.
O Beto quer conversar comigo hoje.
Apesar de eu não ter NADA pra falar com ele e saber exatamente quem eu quero, vou ser educada o bastante pra ouvir ele. Eu não tenho a mínima ideia do que pode ser que ele quer falar comigo. Mentira, talvez ele queira voltar.
Nessa hipótese, já estou pensando num fora sincero. Ou não, que se foda, seja o que sair na hora.

Tentei ver aquele filme bonitinho do Will Smith ontem, e além de bonitinho porra, é muito triste. Desliguei a TV e fui procurar a minha felicidade enxarcando o travasseiro e abraçando o minha almofada laranja.
Eu sei onde tá a minha felicidade, o problema é que eu não posso ir buscar, isso é frustrante, sabia?
O que eu posso fazer então é tentar procurar por aqui mesmo. Pelo menos pra doer menos.
Saudade da minha cama em Belo Horizonte.

20/12/2009

Companhia de Insônia

Minha primeira noite como Sete Lagoana foi em claro. Consegui ver todo o filme que passa antes de "Altas Horas", e é do tipo de filme que não ensina muita coisa, tirando o fato de que "Nunca se é tarde para amar".
Hm, nem ligo pra essa coisa de tarde demais.
Tipo hoje meu café da manhã foi frango com quiabo.

Fiquei pensando em tudo o que aconteceu comigo nos últimos dias, ouvi hip hop e, como a pior hipótese: deitei na sala. Pior hipótese porque eu tenho medo do escuro, pronto, falei.

Pra mim, a melhor companhia pra insônia é pensar.
E eu penso tanto, que de companhia ela passa pra impecilho. Ao inves de ajudar a fazer o tempo passar, espanta o sono, e me dá vontade de chorar à toa.

Um dos meus piores defeitos e ficar presa demais no passado, digo, em ontem, ou até mesmo o que aconteceu antes de ontem.

Queria uma lavagem celebral.

19/12/2009

ODEIO despedida

Hum, está sendo tão ruim quanto eu pensei mesmo.
Dormi desde depois do almoço até agora pouco.

O que me aflinge é: EU ESTOU MORANDO OFICIALMENTE EM SETE LAGOAS.

Sonhei com chuva, e eu não sei o que isso quer dizer.

Eu não sei nem o que pensar, sei lá.
Minha mãe disse que estamos nunca fase de transição muito difícil, e eu osou obrigada a concordar com ela. E que fase!

Só pra constar: dentro de mim muita coisa ainda não mudou. Ainda.

Queria estar mais poética.
Mas deve ser o desespero.

15/12/2009

Instabilidade turbo

Estou num momento da minha vida em que, a instabilidade, chega a ser crucial, só pra mim poder falar que estou passando por uma crise.
Aliás, crucial não é a palavra certa. Banal, talvez.
A instabilidade está em mim, na situação, e no que acontece.
Na minha concepção, instabilidade é um saco.
Eu queria tanto ter certeza de alguma coisa! Queria ter certeza sobre a minha ida, sobre a minha boa fase que já passou, sobre o que eu quero pensar e até o que eu quero postar.
Tenho nem certeza se eu ainda tenho vontade de chorar em posição fetal, enfiar na frente de um carro ou até mesmo ganhar um All Star amarelo de cano médio.
Meu sonho de ter um fusca amarelo pra combinar com o All Star já nem é tão importante, já nem ocupa tanto espaço na mente.
Queria ter certeza de que virariam a esquina à noite.
Queria ter certeza de que eu não ia ter que acordar cedo amanhã pra fazer uma visita que eu não quero pra, depois, fazer outra, ainda mais incerta.
Queria tanto, mas tanto!

13/12/2009

Controlando

"Tá na Extra, tá com tudo. "Boa Tarde! São quatro horas e quarenta minutos, nesse domingo lindo, com muito astral!" - nessa hora começou uma música de axé melosa, falando de timidez que mata -.

Tive que tirar prova: me mexi no banco esquerdo do carro, atrás do motorista, com as mãos em cima da perna, e cerrei os olhos, pra olhar através do vidro que não abria, arranhado, e, pra ser sincera, não haviam mentido pra mim: o céu estava bonito mesmo.

Mas aquilo não era o suficiente.
Por dentro, estava com uma vontade ridícula, incontestável e controlável de deitar em posição fetal e chorar, chorar, chorar. Se não pudesse deitar, e ficar em silêncio, gritaria, e choraria, só pra ver se o desespero passava.

O que eu fiz foi, numa tentativa orgulhosa e triufante, cruzar os braços, com força, por cima do estômago e segurar o ar, até chegar em casa. Tudo pra não me verem chorando, com cara de desesperada nem nada do que as pessoas à bera da depressão, desespero e com muita triteza acumulada fazem.

Na verdade, deu tão certo, mas tão certo, que só me deu vontade de chorar de novo agora, porque eu parei pra pensar nisso.
Tenho 6 dias. Sabe o que é isso?
Eu aceitei, mas não me conformei, não estou gostando.

Os meus braços, de tanto apertarem meu estômago, agora também pelo fato de eu estar a 110 km/h, foram relaxando, e eu percebi que minha blusa estava molhada de suor.
A música, que, de início, era Axé, virou funk. No caminho eu vi uns quatro cachorros atropelados, um sofá pegando fogo debaixo de uma árvore, pessoas esperando ônibus, e eu acho que, pelo menos até agora, doeu menos.

12/12/2009

Carta Masoquista

Demorei, mas consegui classificar meu sentimento em relação à minha ida: estágio 1:negação. Estágio 2: aceitação. Estágio 3: negação. E o atual, estágio 4: aceitação.

Mesmo que as entrelinhas sejam só nossas e que ninguém mais entenda, esse é o seu "texto particular"; só seu. Já era hora de ser direta o bastante.

Quero que você saiba que, hoje, eu estou muito feliz de ir embora, muito feliz mesmo.
Talvez você nunca tenha parado para pensar, mas, e se eu não fosse embora?
Independente de saber o que você pensa, já tenho minha hipótese.

Se eu ficasse aqui, você faria o mesmo que fez nesses dois anos:nada. Mesmo se eu quisesse, mais do que nunca o que eu sempre quis, não ia fazer muita diferença, nem perguntas necessárias me "salvariam".
Eu choraria mais dois, dez anos, o resto da minha vida.
Pensaria em você antes de dormir, colocaria frases no seu clone imaginário, que fica comigo enquanto eu fico sozinha, por conta de pensamentos. Você nunca adivinharia o que eu quero dizer, e eu desejaria que você não me procurasse mais. Tiraria fotos, faria vontades, só pra me distrair. Só para, numa tentativa frustrada, esquecer você por 4 meses e 5 dias, pelo menos.

Nunca fui tão masoquista. Nunca me senti com tanta razão.

Como iria imaginar que, ir embora faria você, por uma eternidade limitada, de certa forma, ser meu? Como iria prever que só assim, meus "sonhos secretos" iriam se realizar?
Como?

Que bom mesmo que eu vou.

p.s.: Eu, quando escrevi isso, madrugando, não passou pela minha cabeça dobrar o papel em 6 e guardar numa meia.
O máximo que fiz foi segurar, até que eu pudesse te contar isso.

11/12/2009

Olha, não me matem por isso, mas eu não consigo segurar.
Eu tenho que falar pra alguém que a minha parte pequenininha e escondidinha que gosta do sorriso, da voz, da pele, e do Roberto em geral, está, a cada momento que passa, ficando menor ainda, e eu não me incomodo com isso.
Porque tudo o que eu esperei aconteceu.
Mesmo que não dure mais de um mês (não vai durar), eu não quero esquecer. Eu não vou.
E que bom que você tá sempre por perto.

10/12/2009

Mais Piadas Internas e Entrelinhas

Preciso de me lembrar que dia 10 de dezembro de 2009, digo, hoje, é o tipo de dia que eu não devo me esquecer, independente dos motivos.

Piadas Internas e Entrelinhas

Você tem alguém pra dividir suas piadas internas e suas entrelinhas?
Não?
Então trate de arranjar logo!

Não entendeu?
É que você não é com quem eu divido as minhas.

09/12/2009

O que eu quero? Certeza e sorte, por favor.

Se eu pudesse escolher uma cor pro meu dia, eu escolheria branco.
Não tirei nada de muito produtivo hoje, meu primeiro dia de férias oficiais, imersas em tédio.

Vou fazer uma (outra) confissão: fiquei com uma invejinha idiota quando eu olhei pela janela e, debaixo de uma chuvinha fraca e idiota lá estava, do outro lado da rua, a Giovanna e o namoradinho dela, no portão da casa dela, abraçadinhos.
Não me permiti ficar lá, parada, olhando. Voltei e fiquei sentada vendo o tempo passar.
De pensar que eu pensei que não ia dar certo...

Não me senti tão ridícula em lembrar dos meus momentinhos fofos com o Roberto, oras, eu não sou de ferro. Por mais que eu mesma saiba quem faz meu coração bater (muito mais) forte, eu sei que não vai dar em nada (tomara que eu esteja errada), e deixei que a minha parte pequenininha e escondidinha que gosta do sorriso, da voz, da pele, e do Roberto em geral, falasse um pouco mais alto.

Queria mesmo ter sorte no amor.
Dizem que capricornianas não têm esse privilégio, e parece que é verdade mesmo.
Por algum momento, eu cheguei à achar sim que eu tinha me achado no abraço grande do Roberto. Mas tem alguma coisa que me deixa insegura. Pra falar a verdade, eu voltaria com ele sim. Mas e a certeza?

Sabe o que eu quero de Natal? Quero certeza.
E, se, por um acaso, eu estiver merecendo mesmo, eu também quero um pouquinho de sorte.

E, claro, a culpa disso tudo não é minha, né ?

08/12/2009

10 Coisas que eu preciso de confessar, digo, esquecer.

1 - Quando o Sérgio alargou minha orelha, a dor não foi nada perto da sensação que deu dele com o rosto não muito longe do meu pescoço.

2 - Eu fico falando que o mundo vai acabar em 2012 porque eu torço pra que isso aconteça mesmo.

3 - Eu tenho medo do escuro; sempre vejo um ser inexistente vagando pelo meu quarto.

4 - Quando eu estou sem escovar os cabelos, eu só saio de casa em último caso.

5- Depois que eu terminei com o Roberto, Sete Lagoas perdeu a graça.

6 - Pra resolver o item acima, vou pegar uma foto do Taylor Launter (ou até mesmo do Sérgio, digo, do Robert Pattinson) e vou colar atrás da minha porta.

7 - O novo corte de cabelo do Roberto teve 70% de culpa do término do namoro.

8 - Eu tenho chorado antes de dormir faz uns 4 dias.

9 - Já estou com saudade da escola.

10 - Queria que o Fábio me beijasse bem no dia que ele não queria.

p.s.: 11 - Poderia fazer um tag "Sérgio", porque eu falo dele mais ou menos desde o meu primeiro post.

02/12/2009

Cara, tô me sentindo no BBB.
Todo sabe de tudo sobre mim.
Todo mundo sabe de quem eu gosto, por quê eu gosto, o que eu penso sobre tudo, meus planos...
Eu tava pensando... eu devia guardar alguma coisa só pra mim.
E o que pode ser?
Se eu contar, minha linha de pensamento não vai dar certo.


29/11/2009

Fases.

Hoje eu acordei, em Sete Lagoas, como num domingo qualquer, fiz torradas na minha torradeira elétrica legal, comi, e voltei pra cama.
Não é sempre, mas dessa vez me deu uma crise de choro. Hoje eu estou assim: é parar pra pensar e começar a chorar. Então vou parar de pensar.

Uma fase acabou hoje. A fase que eu chamo de amor. Na verdade, ela deve ter acabado desde a ultima vez que eu vi o Fábio - o meu motivo de melhora de humor signicativa do mês de maio, parado na minha frente, no meu quarto, com o boné do Roberto na mão, com os olhos arregalados, porque eu falei que aquele boné verde legal era do meu (ex)namorado -. Ou até mesmo antes disso.
O fato é depois de eu ter visto ele, e pelo o fato da existência do Roberto (existência porque eu não conseguia imaginar ele sem ser meu namorado), eu não pude encostar, beijar, abraçar ele. Cara, vocês têm noção? Ele vai embora pra puta que pariu (lê-se Cáceres, MS), e eu NUNCA MAIS VOU VER ELE ! É muito pior do que lá em Lavras, eu a gente nem se despediu.

Apesar de ver o Roberto, com aquele cabelo ridículo, saindo pelo portão, pela primeira vez não sendo meu namorado ter me dado vontade de chorar (de novo), eu não liguei. Chegou a me aliviar. Essa era a única fase que eu queria que terminasse.

Isso tá virando um grande (e insano) problema: eu tenho sonhado com ele, meu coração fica desparado quando ele me liga (sim, ele me ligou esses dias), e eu estou sentindo uma vontade louca e estranha de estar do lado dele, de preferência, bem perto, aproveitando como se fosse o nosso último dia juntos.

Pior que esse seria o caso.

Destiny.

MARISHERE

Eu tenho uma nova religião.
Não somos contra os maníacos por sorte que destroem o jardim do vizinho pra pegar trevos de 4 folhas, que levam um pé de coelho pra todo canto, e nem aqueles que não fazem prova sem sua meia fura da sorte, mas minha nova religião é baseada no tal do DESTINO.
Acreditamos que a vida seja como um daqueles testes de revistas em que você vai seguindo as setas coloridas até chegar no resultado.
Sabe, talvez até dependemos da sorte na hora de escolher a opção que vai te levar pro resultado mais favorável, mas, o que eu quero dizer é que não adianta aleijar os pobres dos coelhos, seus resultados já estão ali definidos.
Na verdade ninguém aderiu a minha religião ainda, mas, nossos templos estão abertos pra quem não quiser mais arranjar brigas com o seu vizinho do jardim.
Não obrigamos ninguém a cortar suas fitinhas de nossa senhora aparecida (até porque elas são estilosas).




23/11/2009

Ceres mudou seu status para "Volto Logo"


Olha, na pior das hispóteses, posso dizer que hoje foi um dia legal. Apesar de ter perdido meu estojo favorito, cheio de coisas favoritas, podemos aplicar o jogo do contente aqui, e lembrar que só faltam umas duas semanas pra aula acabar, então nem faz tanta diferença.
E hoje é meu aniversário de 4 meses de namoro, eu gosto de aniversários (vou parar de ser repetitiva, oquei.). Ter namorado que mora longe é muito tenso, consegue ser pior que amiga. O pior, que ele só mora a 75 km daqui. E a Mariana que mora à não sei quantos !? Umas seis horas de ônibus?

As coisas tão ficando difíceis, porque eu estou tendo a mera impressão de que eu não escrevo mais como antigamente. Quando eu nascer de novo eu volto.
Me desejem sorte, vou precisar.

(Não quero mais correr atrás de ônibus 6:30 da manhã)

Diga oi para a Mari !

Confesso que desde ontem estou mega intrigada sobre o que eu ia postar aqui.
E a propósito, quem ta escrevendo isso é a Mari, agora eu sou sei la eu o que do blog, o que me dá direito de postar aqui.
Eu sempre invejei o blog da Ceres, por ter um nome legal, um lay legal, e ser legal, coisa que o meu não é, e nunca vai ser, hehe.

Pensei em postar falando de mim e dos meus gostos para lençóis, not.
Não vou ser tão específica mas vou tentar me apresentar, ok ?
Eu sou a Mariana Delgado Porto, tenho 13 anos e moro em São Paulo desde os 6 meses de idade, nasci em Santos no dia 12 de março de 1996 e morei na Praia Grande antes de vir pra cá.
Eu acho que eu sou completamente normal, mas todos dizem o contrário.
Gosto de quase todos os tipos de música, menos aqueles sambas e pagodes loucos.
Eu tenho orkut, mas não te quero lá. (brinks, ta aqui)
É sério, não sei mais o que eu falo aqui.
Minha cor preferida é roxo, eu gosto de crepúsculo e afins, sou loucamente apaixonada por bottons, tenho um piercing no nariz, um melhor amigo homem, várias melhores amigas mulheres, Malhação me irrita, Coca é sempre bem vinda, tortuguita de brigadeiro idem, palmeirense, gosto de Mallu, de Avril, Pitty, Guns, O Teatro Mágico (aham, é uma banda), Nevershoutnever!, Michael, e mais coisas mil (viu, todos os tipos de música), não tenho namorado, já fiquei na fossa por meninos e leio o horóscopo do João Bidu todos os dias. (eu sou de peixes, mas acabo lendo capricórnio por causa da Ceres, touro por causa da Bia e do Guigo, escorpião por causa da minha mãe, virgem por causa da Orni e você ainda vai ouvir esses nomes por aqui).

E...a propósito, prefiro lençóis sem estampa.






22/11/2009

Sobre aniversários, e o jogo do contente, que abrange todo o resto

Olha, isso mereceria muito brigadeiro. E chocolate. E FESTA !
Tá bom, o blog fez um ano (ainda é um bebê) dia 2 de novembro, e só agora é que minha ficha caiu.
Geralmente, eu gosto de aniversários. Dos meus, principalmente. Mas, ultimamente, meus próprios aniversários veem me decepcionando; mas ano que vem eu creio que tudo mude. Quem tá me acompanhando a mais tempo, sabe do que eu estou falando. 2010 pra mim vai ser bem difícil. 15 anos, mudar de cidade, de escola, morar perto do namorado... eu tenho esperado isso a muuito tempo. Tanta coisa mudou em tão pouco tempo! E tão pouco tempo passou tão rápido! Quando eu olho pra trás, aconteceu tanta coisa! Gente, bate um desespero enoorme, ainda mais sabendo que tudo vai ficar pra trás, metade vai virar passado, minha realidade vai ser outra. Independente da pressão toda, de fato, eu ESTOU feliz. Tava pensando hoje: Porra, velho. A dois (três) anos atrás, eu queria tanto ser o que eu sou agora! Que bom que eu consegui chegar ao meu objetivo. Na verdade, um deles. Tenho muitos, e isso me deixa mais feliz ainda. Eu me olho no espelho, e me sinto bonita. Tenho um namorado que é o máximo (talvez), emagreci 4 quilos (em muito tempo, mas emagreci)... Portanto, cheguei a uma (grande) conclusão: eu não tenho motivos pra reclamar. Meu Deus, eu nunca fui tão feliz! E daí se meu pai é um pé no saco, eu não tenho um quarto só meu e eu vou me mudar pra roça?
Meu pai pode ser um pé no saco, mas como falta pouco pra ele se aposentar, ele não vai se mudar com a gente de imediato. Um dos meu irmãos perdeu média em 6 matérias esse ultimo bimestre. Ele quase não tem chances de passar na recuperção, e se ele repetir , é outro que vai ficar aqui. Resultado: menos um pra dividir o quarto, menos dois pra encher o saco. Isso é legal.
Eu posso muito morar na roça, mas a Mariana vai ir passar meu aniversário comigo. Quer mais? Resultado: não tem como ser ruim. E daí se eu não vou ter a FESTA DO ANO, com direito a fusca amarelo, cover do Guns e eu chorando o tempo todo? A MARIANA VAI SAIR DE SÃO PAULO PRA IR PRA ROÇA ME VER!
O mundo vai acabar em 2012. Resultado: vou morrer antes de me matarem de responsabilidade. (essa foi ridícula)
Cara, não tem como explicar. Eu tô grande pra caber em mim. Se é que isso fez sentido.
Finalmente eu aprendi a jogar o jogo do contente. Um dia você vai me entender.
A Conspiração Vital tá mais fraquinha ultimamente.
ps.: Deem Boas Vindas pra Mariana.
ps.: aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah *-*

20/11/2009

Conspiração: a vida é cheia delas.

Definição de um tipo normal e corriqueiro de Conspiração a seguir:
São duas coisas cruciais pra mim: ficar satisfeita comigo e com as pessoas, e, principalmente, parar de chorar toda vez que eu lembro que o tempo tá passando rápido demais.
Quando chega a sexta, tipo hoje, parece que todos os outros dias foram o mesmo. Tirando Sábado e Domingo.
Eu estou tentando fazer tudo que está ao meu alcance.
Estão sendo dias maravilhosos.
Tipo sábado, que o Fábio, o gatasso (há) de Lavras, apareceu aqui, e a gente saiu com a Fêer, e eu bebi, e fiquei louca; mas isso não vem ao caso. Pô, não vem mesmo.
Hoje, dentro do ônibus, quando eu tava voltando do shopping (eu vi New Moon, há!), eu pensei em tanta coisa... no Berto, na Mari, na Mônica (sim, na Mônica. Noite passada nossas almas se encontraram em outra dimenção, se é que alguém além da gente acredita nisso) e num tanto de gente.
Quer saber? É tanta coisa que vai mudar em MUITO MENOS DE UM MÊS, que mesmo aceitando muito a situação toda, bate um desesperozinho básico quando eu lembro.
Mas ah! Não há muito o que se fazer agora. Tô deixando as coisas fluirem da melhor maneira possível.
Tenho muita coisa pra ficar pensando. E não consigo escrever mais.
Pensem comigo: o pior que pode acontecer é que o mundo acabe em 2012.

20/10/2009

Se eu soubesse que era tãão bom passar um dia inteirinho sem ter um ataque de mau humor, eu NUNCA mais ficava irritada. E isso não depende de ninguém, só de mim mesmo.
Com um bom humor matinal, "tardial" e "noitial", eu consegui que até meu aparelho quebrado 2 horas depois de chegar do dentista não fosse nada perto de simplesmente ligar pro Roberto.
E a convicção foi outra que não me abandonou.
Eu poderia dizer que tudo está perfeito.
Tirando o fato de não ter mais paciência com blog.

09/10/2009

Estou Tentando, Juro.




Tá, vamos fugir da mesmice. Mesmo sabendo que não vou ter muito sucesso, eu vou tentar.


1ª tentativa: Não vou falar do Sérgio nem do Roberto.


2ª tentativa: Eu alarguei a orelha, preciso de 18 pontos em 25 pra passar em Matemática, vou passar a semana inteirinha de outubro em Sete Lagoas, e vou pôr o Roberto pra estudar Geografia e Matemática comigo.

3ª tentativa: O SÉRGIO PINTOU O CABELO DE ROXO !?

4ª tentativa: A minha professora de Religião tem um emoticon horrível de "O.K." no MSN.


5ª tentativa: Eu fui com o pirralho do Ícaro pro Festival Internacional de Quadrinhos, dei bolo de chocolate pra ele e ainda por cima não briguei com ele. Foi contrutivo, eu confesso.


6ª tentativa: Não tentar mais. Meu conceito como blogueira caiu. Enquanto não tem nada de bom pra ver/ler aqui, que tal dar uma olhada no meu orkut ?
Isso não é uma tentativa: Quero que tenham um feriado melhor que o meu, não sei o que esperar, de verdade. A minha convicção anda bem, obrigada; mas lutar contra essas coisas (Sérgio com cabelo roxo e alargadores azuis, seduzindo geral) é um dos meus objetivos. Talvez até mais do que ir pra Federal, ter um fusca amarelo, morar sozinha na Augusto de Lima com São Paulo ou ter paciência.
De qualquer forma, Eu estou tentando, juro.

04/10/2009

Presa ao tempo, de novo.

Enquanto eu vinha de Sete Lagoas pra cá, a única coisa que eu conseguia pensar era a seguinte: quanto tempo isso vai durar ? Quantas vezes mais eu iria ter que voltar pra casa ?

Simplesmente eu não quero mais morar aqui. Parece que tudo o que eu tenho está lá (o que não é verdade). A questão é que eu já tenho Sete Lagoas como um lar. Que minha casa, - ainda mais agora, que tem sofá de dois lugares e almofada pra dividir com Roberto - já consegue ser o melhor lugar do mundo. E eu, idiota. Quanto eu não quis que isso acontecesse.

Vamos fazer uma comparação: dia 4 de outubro de 2008. Sábado. Aniversário da Ana com o "n" só, eu usando meu vestido de bolinha PELA PRIMEIRA VEZ, e o Luis (um dos muitos) tinha me beijado. Aah, porra, eu era tão idiota! O perfume dele ficou no meu braço e eu não consegui domir. À essa hora, eu devia estar no sofá da sala, me abanando, e com o pensamento lá longe, com o pé sujo de asfalto agarrada com um cara com blusa do Slipknot.
Eu chorava só de pensar na possibilidade de ir embora daqui. Queria me casar com a Ana (ou com o Luis) e morar em Petrópolis.

Dia 4 outubro de 2009. Domingo. Aniversário da Ana com o "n" só, e eu não estava matando ela de vergonha por fazer guerra de bolo com a peituda da Talita no jardim dela. Eu estava com o Roberto, sentadinha no sofá, à moda antiga. Que coisa mais estranha! Nunca imaginei que um dia isso fosse acontecer. Eu já achava que era lésbica. Eu discartei a possibilidade de me casar com a Ana. Muito menos morar em Petrópolis; Sete Lagoas tirou o brilho todinho de lá. Apareceram muitos "Luíses" depois daqueles. Sem falar do Sérgio, que aparece que nem Lua Cheia, quase periodicamente. Apesar de ele espantar minha convicção e matar o Roberto de ciúme, eu ainda gosto muito dele. É um bom amigo, éer.

Hoje eu já pensava em outra coisa. Em outros 4 de outubro que eu já vivi. Numa quinta feira ligando pro Victor, meu exmelhor amigo, ou qualquer outra coisa do gênero, é isso que ele era.
Quanto tempo essa "sensação de 4 de outubro" ia durar. Porque sempre era tão diferente? Será que 4 de outubro de 2010 eu ainda vou sentir saudade retraída, idiota e fraca da Ana? Será que eu vou me lembrar dela? E o Victor? E o Luis? E o Roberto? E o dia de calor?
E a Lua perfeita de 4 outubro de 2008 que prevaleceu ainda em 2009?
E a "amizade perfeita" de 4 de outubro, de 2 de fevereiro, de 15 de março, de 7 de janeiro?
O que será que vai acontecer?

Enquanto eu vinha no carro, a única coisa que eu via era o pôrdosol. A nuvem se esgueirava na frente dele, cinza, pra mim conseguir olhar sem serrar os olhos.

Eu queria que isso se repetisse. Como "meu" 4 de outubro de 2008.

30/09/2009

Tudo ficaria mais fácil se eu fosse uma laranja inteira, se meu namorado morasse aqui na rua de baixo, se meu pai não fosse tão carrancudo, tão grande, tão... ARGH!
Nisso acho que todo mundo concorda comigo.

Ontem meu pai tava irritado. Ele pegou meu celular e jogou no chão. Coitado dele, virou mil. Agora eu estou sem celular. E eu não me importo. As coisas entre eu e meu pai não andam muito bem, segunda vez que a gente briga em menos de uma semana. Que saco, ele anda pegando muito no meu pé.

Mas eu não quero que isso me aflinja, porque já fazem uns bons minutos que eu estou de bom humor. Graça a Deus, eu (e o todo mundo) mau podia esperar.

E cara, pra quê meu irmão fica colecionando cartinha de Pokemón?
Que graça tem aquilo, me mata ! Eu escondi o quase um quilo que ele tinha. E nem lembro onde foi. Agora ele fica me cobrando. Quase espanta meu bom humor de novo. Mas eu não vou deixar.

Tá bom, antes que qualquer coisinha me irrite, eu vou dizer tudo o que tem a possibilidade de me irritar: Meu irmão não para de chupar laranja. Depois que ele começou uma espécie de dieta à base de coxinha de catupiry da Terezinha, a moça que vende lanche na escola, em casa ele não para de chupar laranja e tomar vitamina de banana. Será que ele não se toca que não é esse tipo de laranja que completa a gente? (comparação tosca).

Segunda coisa (porque a oitra foi a primeira - robei a frase da Bia): NÃO VAI FAZER FRIO AQUI! COMO ASSIM? Já chega nós passarmos o inverno inteirinho sentindo calor. E a Gislaine Ferreira, a moça do tempo do MGTV disse que era pra caprichar no agasalho, e mimimi.
QUEM LIGA PRO QUE ELA FALA AGORA? (apesar de eu ter me exaltado, eu ainda acredito). Eu me preocupo com a meteriologia, eu tenho um sonho retraído de ser moça do tempo.

Terceira coisa: Falar sobre as coisas que me irritam me fazem fircar irritada, eu acho.
Vamos construir o bom humor entre nós. Principalmente entre mim. xD~

Juro que vou tentar ser mais calminha.

29/09/2009

Meu sonho é ser uma laranja inteira

Ver filme brasileiro é viciante, pelo menos eu acho.
As duas últimas vezes que eu fui no cinema foram pra ver filmes brasileiros.
Divã, aquele com a Lilia Cabral (é assim que escreve?), é MUITO bom. Às vezes eu duvido que a classificação dele é 14 anos, mas tamoaê. Ai, que nada a ver. D:


A minha vontade era de dormir e NUNCA mais acordar.
Pena que não temos rocas por aqui. Rocas, tipo aquela que a Bela Adormecida furou o dedo e dormiu por uma eternidade limitada. Só que eu não quero príncipe. Eu quero só ter paciência quando acordar.
Agora não acho necessidade nenhuma de estar com a suposta metade da minha laranja. Eu só quero paciência, será que é pedir muito?

Qualquer pessoa normal e paciente estaria esperando por ser uma laranja inteira.
Fulano: "Ciclano, qual o seu sonho?"
Ciclano: "Aah, meu sonho é ser uma laranja inteira."
Pessoa normal que tenha visto "Divã", fica a dica.

Que merda de expressão "metade da laranja".
Qual é o problema de "eu quero minha paciência"?
E também de "eu preciso estudar"?

Estou preocupada, mas não estou com vontade nenhuma de resolver.
Estou sem paciência.

Será que existe paciência sabor laranja?

E a Conspiração Vital não para de me atacar.

27/09/2009

Mentiras internas (como as piadas internas) são uma merda mesmo.
Sabe por quê ? Na maioria das vezes ninguém entende, só você.
Sendo assim, quem pode te ajudar? Quem pode rir de você?

Todo mundo sabe que quem mente precisa de ajuda.
Se ninguém sabe, é porque pura e simplesmente eu tenho essa concepção.
Eu preciso de ajuda.
Por parte, me sinto horrível por não me sentir culpada.
Eu beijo um cara pensando em outro (no caso, as coxas, o sorriso, a bunda, o dom de ler entrelinhas, a capacidade incrivelmente alta de me entender, e de rir das minhas piadas), e isso é terrível.
Não vai adiantar eu terminar com o Roberto, porque eu não vou ter nenhum dos dois depois disso. Mesmo que eu morra de vontade de fazer isso dependendo da minha carência quando eu ver ele de novo. Então, o jeito é deixar a mentira continuar interna. Interna porque o Roberto não sabe. Ou sabe e finje que não sabe, igual quando eu perguntei porque que o celular dele tava desligado.

Eu queria mesmo, com toda a força do meu ser, parar de falar do Sérgio (apesar de ele ser minhas musa) e do Roberto (pelo menos tentando falar).
É que meu mundo roda em volta disso, é impressionante.
Eu sou muito idiota mesmo, preciso de distância da situação.
Estou totalmente perdida, perdidinha mesmo, sem saber o que fazer, mesmo já tendo jurado que ia fazer o que me aconselharem, porque se eu for por mim eu não faço mais nada.

E essa minha Conpiração Vital nunca foi tão forte quanto agora.
Nunca imaginei que a Teoria do Heroísmo fosse dar tanto trabalho quando a outra crônica que não tem título.

Eu também estou estressada.

Post Alternativo - O que eu postaria caso eu finjisse que está tudo bem
Nós nos beijamos com uma certa harmonia.
De repente seus lábios ficaram urgentes nos meus, seu corpo ficou incrivelmente forte contra o meu.
Eu simplesmente retribuí, e desejei que fosse possível que pudéssemos ficar mais próximos do que já estávamos. Cheguei á conclusão de que ali era meu refúgio feliz.
(dei uma de Stephenie Mayer agora)

23/09/2009

Se bobear não passa de três. Ou dois e meio. Parte 2

Roberto deixa o telefone desligado pleno dia 23.

Se bobear não passa de três. Ou dois e meio.

Logo hoje... logo hoje minha convicção inventa de fazer as malas e ir embora.
Espero que ela volte.

Ceres pega o telefone e disca um número rapidamente, e espera Roberto atender.

Quer saber ?
Ela deve voltar no sábado, como sempre.

22/09/2009

vinte e dois de setembro de dois mil e nove (como se fosse grande coisa)

É, pode-se dizer que eu estou conseguindo.
Ando mais calma e, por consequencia, comendo menos, e isso é ótimo.
Precisamos pensar na formatura no Free Time, certo?
Com toda certeza do mundo, eu vou ver o Roberto esse final de semana, e isso também é ótimo.
Apesar de estar com esse aparelho idiota na boca, tá dando pra levar as coisas com ele.
Vou ligar pra ele amanhã, é dia 23. Eu gosto de dia 23, é nosso aniversário de namoro.
A parte idiota disso é que nós vamos fazer 2 meses, e faz 1 que a gente não se vê.

Meu trabalho de história vai dar certo.
Eu pensei que o ano fosse terminar e eu não ia fazer um trabalho que preste, eu tô feliz.

E tem outra coisa: eu ODEIO ser ignorada.
Como o céu tá bonito hoje *-*

19/09/2009

eu odeio sábados


Tirando o céu, o resto foi uma merda.
Eu interpretei errado o sentido do horóscopo. Ele disse que teria bons ares pra viajar, não que eu viajaria. Resumindo: eu não fui pra Sete Lagoas, não vejo o Roberto desde o dia 30 do mês passado, e estou quase morrendo de saudade dele.
Fui fazer brigadeiro, mas eu esqueci que o gás tinha acabado. Sem brigadeiro tb.
A luz da copa queimou faz dias, e não dá pra mim ligar a web cam à noite.
Sem falar da dor de cabeça. Eu estou muito chateada pra postar. Amanhã depois de trabalhar o dia inteiro, chegar em casa e fazer a lição talvez eu melhore. Ou não.

18/09/2009

i believe (talvez isso nem faça sentido)

Estou falando do meu horóscopo.
Ele ridulamente nunca mente. (rimou)

Aconteceram duas vezes, mas acho que foi significativo.
A primeira vez foi quando eu tava na escola, de manhã, e eu tava lendo do Super do Ado (sim, meu amigo se chama Ado), com a Jordanna (a namorada do Ado).
Como sempre, eu fui olhar o horóscopo. Creio que eu não seja a única que sempre faz isso.
E tava escrito: "Tente alguma coisa nova, lhe fará bem." Ou qualquer coisa parecida com isso.
No mesmo dia, de tarde, me aparece a Ana aqui em casa (Não é a Ana do 'n' só nem a Anna dos dois 'n'). Ela me inventa de ir no supermercado pra comprar biscoito Bono. Na verdade, ela não queria biscoito Bono (sorte minha, porque eu comi o pacote quase inteiro). Pois então, a Ana não queria o biscoito Bono porque ela queria falar com o cara com nome que começa com "W" que eu não lembro qual é, e que trabalha na parte do açougue. Já fazia diiiiiiias que ela me falava desse menino, PQP. Beleza. Eu tava irritada, porque ela me deixou plantada atrás da prateleira de pães de forma, bolinhos do Shrek, Ana Maria e derivados porque ela queria conversar com o cara. Tá bom que eu fico irritada com qualquer coisa, não tenho um humor dos melhores. Mas mesmo assim, foi por uma justa causa. Aí eu comecei a tirar ela. De repente me vem o cara do "W" e me fala: "Porra Ana, que amiga tiradinha."; E eu fiquei calada.
Só sei que esse cara apareceu na rua debaixo da minha casa, de moto, chamando moor atenção. O pior que todo mundo sabia que eu tava sozinha em casa, sempre tem alguém no portão de casa pra ver. E a Ana lá, com o cara do "W", os dois no mor papo, e ela não me deixava ir embora. Eu tava com uma cara feia de fazer gosto. De repente do cara me dirige a palavra: "Porra, tem um amigo meu a fim de você, mas eu disse pra não chegar porque você é tirada." Aí eu disse:"Sério!?" E diz outra cara feia, pior do que a primeira. Ele me olhou e disse: "Calma, vou licar pra ele."(porra, vai ficar difícil de identificar os dois, porque os dois trabalham no supermercado, e os dois tem "W" no nome, mas eu não lembro o nome de nenhum. Então vai ver o "Cara do Açougue" e o "Cara do Sacolão" - sim, o outro trabalhava no sacolão).
Aí ele pegou o telefone, discou, e quando o Cara do Sacolão atendeu, o Cara do Açougue me passou o telefone. Pra abreviar isso tudo, mesmo eu nunca nem tendo visto o cara na vida, eu falei pro Cara do Açougue ir buscar o Cara do Sacolão. E como ele tava de moto, chegou em dois tempos. Resumindo: foi tão interessante que nem o nome do cara eu lembro, e uns dias depois eu fiquei meio assim de ir no supermercado. Teve um dia que eu fui de short e sem pentear o cabelo e ele me viu. Ele deve ter ficado assustado, porque ele saiu do emprego.
Pode até ser que eu esteja errada, mas eu acho que meu horóscopo tava certo: eu tentei uma coisa nova. Eu não sou de sair pegando caras assim. Foi só dessa vez. Eu tentei e não deu certo, simples.

Na segunda vez: Domingo retrasado de manhã cedo, eu tava na Feira do Mineirinho, trabalhando (vão lá me visitar, eu fico na parte do vestuário, stand 65, quintas e ocasionalmente aos domingos; e me desculpe a propaganda).
Eu também tava irritada nesse dia, porque eu não tava vendendo nada, que merda. Quando não vendia, eu falava o preço errado. Se errasse o preço pra mais cara tava bom, mas eu falava que era mais barato mesmo. Éramos dois: Eu e Carlos totalmente irritados porque meu "espírito de boa vendedora" tinha ido pro brejo.
Pra me distrair, eu peguei o jornal pra ler, e fui direto no horóscopo, de novo.
E dizia assim: "Sua manhã pode ser meio turbulenta. Mas não se preocupe, à tarde deve melhorar, é só pensar positivo."
Cara, eu sei que parece mentira, mas foi só dar meio dia e eu desembestei a vender.
E não errava os preços. Ponto pro horóscopo de novo.

Agora que vem a parte que me dói (mais): Eu li o horósocopo na Atrevida, na Capricho dessa quinzena, na Tititi (eu li Tititi, foi só dessa vez), e mais outra lá, todas desse mês. Todas concordavam num ponto: "Bons ares para fazer viagens para lugares não muito distantes."
Traduzindo: Ir pra Sete Lagoas.
E a Atrevida tinha uma coisa que me deixou intrigada: "Coração: o namorado pode lhe fazer uma surpresa, aguarde!"
Traduzindo: A conversa do Roberto.

Eu acredito , i believe que meu horóscopo vai estar certo pela terceira vez na minha vida, sem falar das vezes que eu não li, e deve ter dado certo também.
Vocês acreditam também? Torçam por mim.

E só pra terminar: Eu sou de capricórnio.

16/09/2009

Ai, como eu quero que esses três meses passem logo!
Eu estou deixando passar muito fácil isso tudo. Como eu sei que vai acabar logo, porque não engolir mais um pouco de sapo? Venho trabalhado minha paciência.
A Clarinha mesmo explodiu comigo ontem, porque eu ainda não engulo o final das coisas. Eu digo final das coisas porque a coisa não vem ao caso. Quer dizer, as coisas.
Eu também ando meio que exagerada, eu acho. Tá bom, tá bom. Eu SOU exagerada.
Talvez eu esteja tão focada no futuro que meu presente está ficando meio largado. Sabe quando você vai vivendo automaticamente?
Acorda, toma café, vai pra escola, volta da escola, faz dever, vem pro PC, deita e dorme.
Sem falar da comida. Eu como sem nem ver. Isso é ruim.
Ai, como eu quero que esses três meses passem logo!
Quero ficar com o meu namorado que liga terça á noite todo tempo que eu puder.
Como diz a Tabi: "... qe dure o tempo necessario pra se tornar inesqecivel (yn)"
Primeiro namorado é uma coisa estranha mesmo.
Ainda mais se ele não sabe o que é "Sweet Child of Mine", "Estranged", ou até mesmo "Patience". (eu acho que agora ele sabe, éer.)

14/09/2009

Ah, o final é uma coisa ridícula mesmo

Sabe quando você tem a impressão de metade da sua vida chega ao fim? Pois então, vou explicar:

Coisas que acabarão em três meses (ou não)
Por Ceres Bifano
- Minha estadia em Belo Horizonte: vai durar mais uns três meses (olha o três de novo). A minha Teoria do Heroísmo vai ser sim concretizada. Eu achei um projeto de amor lá. E agora, eu vou escrever minha própia história. Como heroína, talvez. Que essa mudança não me mate.
- A novela Caminho das Índias: tá bom, acabou sábado, e eu nem via, mas acabou.
- Minha amizade com a Ana do "n" só: Talvez tenham sido os quase dois melhores anos da minha vida. Pelo menos não foram três. Amor é uma coisa ridícula mesmo. Quando a gente ama as pessoas são perfeitas, os erros passam batidos. Na verdade, essa é uma coisa que já acabou. Eu vi o quanto não me fazia bem. Eu posso, quero e devo viver sem isso. E eu estou indo superbem, pra ser sincera. E eu adoro pessoas sinceras, sabia?
- A minha paciência: Tem um pirralho que estuda na minha escola que sempre tem que vir me encher o saco. Tô vendo a hora que eu vou bater nele.
- O meu All Star vermelho: já tem dois anos que eu tenho ele, e hoje que eu parei pra pensar o quanto ele tá velhinho e precisa de uma lavada, igual a minha mochila laranja que não vem ao caso.
- O meu rolo que durou de abril até novembro do ano passado: eu aguentei bem, e agora serve pra espantar convicção. O bom disso tudo é que eu vou ter histórias incríveis pra contar pros meus filhos. Eu sempre chamo a atenção quando eu vou contar uma história dessas. Eu não vou ver o Sérgio quase nunca quando eu me mudar. Vai ser estranho não poder chamar ele pra vir pra cá conversar, à toa; ou chantagear ele com refrigerante. Pelo menos encher os olhos com a bicicleta do Beto eu vou conseguir.
- Alguns quilos: isso é o que eu espero que acabe.
- TV digital, telefone e internet (não exatamente isso, muito menos nessa exata ordem): depois de perder metade de Isa TKM porque minha mãe cancelou a TV a cabo porque tá vindo cara de mais, eu sei que quando eu me mudar eu não vou ter internet. É uma coisa impressionante de como que aquele povo de Sete Lagoas ganha dinheiro com Lan House. Lá é quase impossível ter uma internet decente em casa, imagina esse meu computador? Não vai dar conta.
- O que (quase) acaba, seguido do item a cima: a Mari. Eu só conheço ela pela internet, e é melhor que muita amiga que eu vejo todo dia, abraço todo dia, e que me aguenta todo dia. Eu torço mesmo pra minha mãe fazer nem que seja um projeto de festa de 15 anos pra mim, aí ela vai vir pra cá, a gente vai chorar, e vai cantar "O Leãozinho" juntas, e comer (ah, ._.) e muita coisa que não dá pra fazer pela web cam.
- Minha paciência (parte dois): Namorado bom, é namorado que liga todo dia, concorda?
Ah, o final é uma coisa muito ridícula mesmo.
Eu também queria que minha fome acabasse assim.
Com ponto final e com um "publicar postagem"

13/09/2009

3 banhos, 30 minutos no telefone, 3 visitas, 3 meses


Belo domingo, eu diria. Eu não fui trabalhar hoje, por pura preguiça. Fiquei em casa a manhã inteirinha, sem fazer nada. O Ícaro foi pra casa da minha tia ontem, e acabou de chagar aqui. O Léo foi pro mineirão ver o jogo do Atlético Mineiro contra o Atlético Paranaense. Não sou muito de futebol, por isso nem sei como que o jogo terminou. A Fernanda veio aqui, ajudar a resgatar meu domingo ingo ingo. A gente tirou algumas fotos legais, fiquei em cima dos tijolos que têm no quintal, e lá de baixo a Fernanda ficava tirando umas fotos e a vizinha que me via por cima do muro gritava pra mim não encostar a mão no fio. Assim que a Fernanda foi embora, a Bela chegou. A gente ficou no meu quarto conversando um pouco, e eu TENTEI fazer pão de queijo, mas nem pra desgrudar eles eu prestei. Ficou um pão de queijo gigante, e cru por dentro. O Sérgio (o enrolado), veio aqui hoje. De uma certa e dolorosa forma, eu fiquei muuito feliz por ver ele. (ele vai entender a bolinha azul)
A gente ficou discutindo. Eu tenho certeza absoluta que no primeiro dia que ele veio aqui ele tentou me beijar. E ele diz que não. Caramba, eu tenho certeza absoluta. Ele não lembra nem da roupa que eu tava usando na última vez que a gente se viu, muito menos do cinto de bolinha. Eu estava usando o cinto de bolinha dia 17 (?) de setembro, o dia mais ... conturbado (?) desse enrolo todo. E na ultima vez que a gente se viu também.
Mas ah, isso não faz muita diferença mais. Pelo menos não devia fazer.
Mudando de assunto, ontem foi um dia estranho. Tava tudo muito fora do que seria normal pra mim. Saí daqui 16hrs, pra ir pro shopping Cidade, com a Fernanda, e não tinha muita coisa pra fazer lá. O Roberto tinha me prometido que ia me ligar, e eu não fiquei muito preocupada. Culpa dele eu estar engordando desse jeito. Quando eu fico ansiosa (além de outras coisas), eu como. E ele com aquela conversa, ai meu deus. Até hoje ele não liberou muita coisa, a não ser:
- Ceres, você confia em mim?
- Você me traiu?
- Não quer terminar comigo, quer?
Argh, tá me matando. Apesar de eu já ter minhas hipóteses e até conclusões, eu ainda tenho medo. E ansiedade. Aí eu como.
A única hora em que eu fico com a convicção em baixa, é quando o Sérgio aparece, pronto falei.
Eu superei só a parte da minha mãe não ficar gelada quando eu vejo ele, não sonho com ele à noite e nem fico pensando nele e olhando pro teto. Já é um grande avanço.
Sou eu, a garota dos 3: das três visitas de domingo, dos três banhos de sábado, dos três (x10) minutos no telefone com o Roberto, discutindo a relação e contando de vizinhas vacas e enxeridas que querem o número dele, e dos 3 meses que faltam pra parte dos meus problemas acabarem. Tipo a mochila roxa da sala J, do tesão do João, do enrolado, telepático (e lindo) do Sérgio; que aliás, gosta de me ver de blusa curta, e coisas das quais eu não preciso de me incomodar.
A lente verde da minha prima tá horrível, o que ela tá pensando?
Vou me esconder em Nárnia (vide foto) quando o desespero bater.
SÉRGIO, NÃO ESPANTE MINHA CONVICÇÃO.
ESPANTE MINHA ANSIEDADE (e minha fome), se você conseguir.
Preciso, necessito de ir pra Sete Lagoas. Lá agora é meu refúgio feliz, AMÉM.

11/09/2009

TOOOOOOOCA RAAAAAUL \nn/

Hoje foi um dia legal.
Fui pra Savassi com meus velhos/novos amigos. Foi muito bom.
Nunca tinha bebido na rua, muito menos ficado na Paça da Liberdade, conversando com gente que eu nunca vi antes, que por um acaso eram amigos dos meus amigos, e que viraram meus amigos também. São coisas do tipo... que até hoje não eram meu tipo.
Eu devo aparecer na televisão amanhã, na Alterosa, achei uns repórteres com roupa de Raul Seixas. Um deles tava com a barba descolada, mesmo assim tava SUPER sexy. Acho que vai passar na Alterosa, no mesmo canal do SBT, 12:30.
Também tirei foto com um cara que tava na porta da loja da claro lá da Praça da Savassi, que tava usando uma roupa prateada, e converse vermelho. Sem falar que ele é um negão alto, bonitão e de black power, puta merda.
O mais legal é que era a conta de você chegar perto de alguém e fazer pose aparecia outro alguém de não sei aonde, que tirava uma câmera do cabelo (pra não falar outra coisa), parecia e tirava foto da gente. eu me senti importante, até.
Foi tão fácil convencer a minha mãe de me deixar ir, que realmente eu fiquei intrigada de ter feito alguma coisa. Só não sei se era coisa boa ou ruim.
Minha mãe tinha duas opções: 1ª me deixava ir pra me livrar de mim, ou 2ª me deixava ir porque eu tava merecendo. Na melhor das hipóteses (ou opções), resolvi ficar com a segunda mesmo. Mas o que importa é que eu aproveitei muuito, e apesar de chegar em casa 15:30hs, eu fiquei feliz, porque pelo menos eu consegui sair, e não era pruma Voice, Power, Roxy, Fênix, muito menos uma Cocobongo da vida. Isso não faz muito meu tipo. Mas isso não vem ao caso; tipo minha mochila laranja super legal.
Aaah.. como eu queria que o Roberto estivesse comigo! Seria legal se a gente saísse junto pelas ruas de Belo Horizonte de mãozinhas dadas, pra mim levá-lo pra longe daqui, onde nem o céu seja o limite e coisas do gênero. Eu sinto muitas saudades dele. O carro continua na oficina, e ele com aquela história de que "Precisamos de conversar;na hora certa, é só você esperar." ou então: "Ceres, você confia em mim, como namorado? Tem certeza? Absoluta?".
E isso tá me matando, meu deus do céu. Primeiro porque eu odeio esperar. Segundo é que eu não gosto que me oprimam as coisas. E ele ainda diz que é sério o assunto. De verdade, com todas as pistas que nos apontam, eu acredito que ele queira levar a relação mais à sério, se é que me entendem. Porra, acho que eu não quero isso, pelo menos agora. Mas é melhor eu aplicar o "jogo do contente" aqui, achar que o que ele quer me falar é uma coisa linda. Talvez ele queria me pedir em casamento, ou qualquer coisa do tipo, sei lá. Qualquer coisa que me acalme seria ótimo, porque eu estou bem vulnerável, quase pra beijar o João, mas isso também não vem muito ao caso. Ah, então é isso. ISSO foi o meu dia. Minha mãe fez churrasco, eu gosto de churrasco.
Como deu na enquete, eu mudei o lay do blog. Deixei bem simples, eu gosto assim.
E meu dia "nada poético" termina assim. Eu acho que apesar de serem 20:38, não vai acontecer nada de mais.

08/09/2009

Talvez tenha acabado.
Talvez não.

Quem sabe eu ainda não vá morrer de saudade?
Mas prefiro que fique assim mesmo.
Talvez seja melhor pra mim... talvez.
Queria saber algo concreto em relação à isso.

Tá, sem ser muito poética. Eu estou preocupada com o Beto.
Ele tá com uma história de "precisamos conversar pessoalmente" que já tá me irritando.
Eu tenho medo, cara. Esse namoro é furada.
Por mais que ele se mostre interessado, sei lá... ele fica lá, sozinho.
Eu sei que eu não faço nada, tenho certeza absoluta.
Eu só não tô morta e fico olhando, mas olhar não tem nada de mais.
Mesmo assim, eu AINDA tenho medo.
O que pode ser ?

Convicção ainda está aqui !

05/09/2009

Eu não sabia o que fazer.
Chorar não ia adiantar de nada.

Levantei da cadeira e fui tomar banho.
A água era mais quente do que o ar.
Eu odiei.

Vesti minha roupa e me aninhei na cama, a fim de afungentar meus pensamentos.
O calor pra mim era insuportável. Preferiria estar com meu edredom.
Mesmo assim, dormi fácil. Na mesma facilidade da qual eu me apaixono.

Afundei tudo que tinha no travesseiro.
E me contentei em apenas passar meu rosto na fronha.
Queria alguma coisa viva pra abraçar.

E depois, já nem pensava mais.

Quando acordei, simplesmente apaguei um dos contatos de letra "a" do meu celular.
Só pra amenizar. E esquecer .

02/09/2009

minha musa inrpiração é um menino. e faz tempo.

' ک є я g ι и . diz:
*maano to lendo seu blog.
*obrigado pelo apelido novo.          
Ceres         diz:
*apelido novo !?
*ah, sim ._. *eu já te superei, calma.
' ک є я g ι и . diz: *e eu sei, eu também.          
Ceres         diz: *que ótimo.
' ک є я g ι и . diz:
*eu sei que é cruéu, mas eu acho tão legal ler suas historias sobre mim !          
Ceres         diz:
*eu sei, e eu não tenho medo de escrever porque você não se incomoda em ler, me deixa feliz (: *você é ou foi, não sei o tipo de pessoa que me inpira ._.
' کє я g ι и . diz:
*poxa, é uma honra, ao menos sirvo pra alguma coisa.          
Ceres         diz:
*é, que coisa (:
*Séérgio, você é minha musa 8D
' ک є я g ι и . diz: *e eu duvido que a bike dele é igual a minha.          
Ceres         diz:
*o quadro é igual u.u
' ک є я g ι и . diz:
*é? *tem foto?          
Ceres         diz:
*não tem não.
*só a cor é diferente.
*mas é igualzim
' ک є я g ι и . diz: *ahh é balela.          
Ceres         diz:
*não é não

u.u fiquei feliz por saber disso. 26/08

01/09/2009


Hoje... não sei o que aconteceu.
Mas eu achei que foi diferente.
Seis e vinte da manhã... o céu tava perfeito.
Fiquei que nem retardada no ponto de ônibus tirando foto do céu.
Porra, a culpa não é minha, eu tenho uma queda por céu.

Na verdade, hoje, de fato foi um dia muito normal.
Uma das coisas que não vêm acontecendo muito ultimamente.

Porra, hoje a Ana (a so "n" só) deu sinal de vida.
Pelo orkut. Mas pra mim foi até que bem... legal.
Independente de qualquer coisa, distância me mata.
E ciúme tbm. Mata, arranca sangue, lágrimas, e coisas do gênero.
Odeio ter ciúme. Principalmente dela.
Mas pensa pelo lado bom: eu pelo menos admito que tenho ciume.
Admitir é uma coisa honesta, certo ?
Hoje eu ressucitei minhas fotos do orkut.
Eu tinha apagado todas, e postei as que eu tinha no pen drive.
Todo mundo comentou como se não houvesse amanhã ._.
Pois então, esse post ganhou do post do Edu Moscovis: probrinho, pobrinho.

30/08/2009

Surpresa, pastel, beijo, saudade de praia.

Deu tudo errado.
O Beto não veio pra Belo Horizonte, nem ele, muito menos a mãe dele.
Sabe o que aconteceu !?
EU fui pra lá 8D

Vou explicar timtim por timtim, como eu sempre faço: Meu tio Carlos precisava de resolver algumas coisas em Sete Lagoas. Aí foram ele, a mulher dele e a neta da mulher dele. De Fusca.
Mentira. Fomos eu, minha mãe, meu tio, a mulher dele e a neta da mulher dele. De Fusca.
Buscaram a gente na estação Gameleira. Em falar nisso, no ponto de ônibus que nos buscaram de fusca, tinha uma menina muito foda. Ela tinha um cabelo legal, uma blusa legal, um tênis legal, uma mochila legal e um amigo legal (era tecnicamente legal. Ele tava de meia, um chinelo da Calvin Klein e um ôculos beem gay) e era bonita (só de longe, porque de perto parecia uma vaca de tanto piercing, sem ofensas). Quando ela entrou no ônibus ela ficou me olhando com cara de caminhoneiro G_G' Errr, eu não sei explicar olhar de caminhoneiro.

Apesar da dor nas pernas que me deu de ficar socada dentro do fusquinha dividindo o espaço com a minha mãe e a neta da mulher do meu tio (a Mylena, pra ser mais exata), as dores foram sentidas por amor ♥♥♥

A gente (digo, as pessoas que estavam no carro) fomos na feira.
A coisa mais rara que tem sou eu usar brinco, e eu tava com uma argola. Saí de lá com um par de brincos redondos com umas borboletas, BEEEEEM, maiores que minhas argolas. Saí feliz comendo pastel. Comi só dois, porque o aparelho não me proporciona bem estar enquanto eu como, falo, e err, beijo.

Mas de tudo, eu acabei me acostumando nessa coisa de beijar com aparelho.
Em um dia. Isso mesmo que você leu: um dia.
O Beto nem sabia que eu ia; Foi supresa, e nem eu sabia que era supresa.
Acho que nesse um mês e alguma coisa de namoro, esse foi o dia mais contrutivo.
Não pense bobeira, por favor. O fato foi que a gente aproveitou.

Cara, eu sei que pareça impossível, mas foi o seguinte: minha mãe pediu pra mim comprar cerveja pra ela, e o Beto foi junto, claro. (legal, sustento o vício da minha mãe. E da minha sogra. As duas estavam jutnas contando caso com a minha tia, enquanto meu tio tava com a Mylena resolvendo os problemas dele) Quando a gente voltou do bar, eu servi a cerveja pra elas (a minha mãe a minha sogra, já que a minha tia não bebe) e eu tava com sono. Aí eu fui pro quarto com o Beto. Só pra deixar bem claro: a porta estava aberta, e dava quase de frente pra varanda, onde as ditas cujas estavam. Então, tudo o que a gente fizesse elas viriam, se elas quisessem. Eu não fechei a porta meeesmo. Primeiro que eu não escondo nada da minha mãe, se acontecesse alguma coisa eu ia contar pra ela. Eu converso com a minha mãe do mesmo jeito que eu posto aqui no blog, a gente tem conversas que muita gente adulta não tem, eu acho isso muito bom entre eu e ela, sabe?

Só sei que quando ela assustou, eu tava deitada na cama do lado do Beto. Ele tava quase dormindo, panguando mesmo. E eu tava apoiada no braço olhando pra ele, aah *-*
Aí minha mãe gritou a Élis (minha sogra, pra ser mais exata. Lê-sé Élis mesmo. Tipo Elis com acento agudo no "e"). "Robeeeerto seu folgado!" Nisso ele já tinha pulado literalmente do colchão (claaro que é colchão, não tem nada lá, eu ainda nem me mudei). Aí ele deitou de novo, e eu, por mais que tinha sono, eu não conseguia dormir com aquele par de olhos castanhos com aquela sombrancelha grossa me olhando. O máximo foi a gente TENTAR se beijar, só isso. A gente tava panguando mesmo.

Aaah, eu liguei pra Mari, ae ae *-* Ela tava na praia, e ela me deixou ouvir o barulho do mar.
Porra, eu fui na praia quando eu tinha 4 anos. Saudade de praia. A Mari me proporcionou um ÓTIMO momento, obrigada Mari. Mesmo estando longe vocÊ é tão presente !

Aí eu tive que vir embora.
É impressionante. Toda vez que eu vou embora lá da minha casa em Sete Lagoas, sempre fica alguma coisa pra trás e a gente volta. Dessa vez foi a bolsa da minha mãe. Da outra vez foi meu aparelho, cigarro do meu pai ... sempre assim.
Acabou. E eu nem acreditei. Parecia uma eternidade.

28/08/2009

Eu precisava de contar isso pra alguém... de novo.

Pois é, vou aproveitar o momento pra dizer TUDO o que aconteceu, sendo mais direta possível. Está passando muita coisa na minha cabeça, mas eu vou conseguir. Cuidado com a mistura de casos e muita coisa ao mesmo tempo, vai ser complexo.

Primeiro: Meu namoro está ÓTIMO. O carro do meu pai quebrou, então eu não vou pra Sete Lagoas esse final de semana. Aí a minha mãe teve uma idéia. E a idéia foi ótima por sinal: chamar ele pra passar o final de semana aqui. Por que eu não tinha pensado nisso antes !? E se der tudo certo ele vai pra cá (com a mãe dele) no domingo. Vai ser muito bom pra matar a saudade dele. Que namorada desnaturada que eu sou, faço um mês de namoro, esqueço a data e ainda não vou ver o menino!? Eu estou convicta de que eu preciso de ver ele, e isso é um fato. O que eu tenho que fazer agora é esperar (anciosamente) ele chegar. Vai dar tudo certo. Aliás, vai dar tudo muito certo.

Segundo, terceiro e talvez quarto: Ontem o dia foi meio... diferente. Fui pro dentista com a roupa mais louca que eu tinha em mente: uma blusa branca com a estampa laranja, um cinto branco com bolinhas pretas, um short preto com meia calça roxa, all star preto, blusa de frio preta e a bolsa preta da minha mãe (eu tava num dia meio emo). Demorei lá da escola até aqui em casa pensando nisso, foi muito complexo pra mim pensar, ainda mais com o tanto de coisa que eu tinha em mente. O resultado não foi diferente: eu chamei muita atenção. E eu gosto de atenção. Às vezes eu até devo estravazar com minhas roupas, mas eu supero. Eu e quem anda comigo. Mas então, só sei que voltei pra casa com o aparelho roxo, mas eu queria lilás. É tão difícil entender isso!? Sem falar daquela grande lingual idiota que eu fui obrigada a usar de novo. Pelo menos não tem o dijuntor (desculpa a língua odontológica). E o Sérgio (lembra dele!? Tenho um caso pra contar sobre ele tbm) ficava teimando cmg que meu aparelho relamente era lilás, não roxo. Roxo era o alargador dele (é, ele alargou a orelha). Na quarta eu fiquei feliz com o Sérgio. Ele me disse que lia o meu blog, e ficava feliz quando eu falava dele. Aí ele disse que ia vir aqui na sexta (hoje) com a calça skinny pra mim ver. Esse Sérgio filho da mãe tá me tentando... ele tá muito lindo com aquele cabelo sem cortar (pára de se gabar, menino). Só sei que ele me arrastou pra estação do metrô com ele, porque ele ia encontrar o Rafael (o amigo tecnicamente lindo, sarado e atraente; segundo ele. Tecnicamente porque eu não acho tanto assim, ele nem faz meu tipo). Aí eu encontrei com o Gui. Porra, a quanto tempo eu não via o Gui, fiquei feliz de ter visto ele e o cabelo legal dele. Enquanto eu tava destraída falando pro Gui a saudade que eu tinha dele, o Sérgio saiu andando da estação e me largou lá. Cacete, ele devia me levar em casa! u_u Quando eu larguei o Gui e sái correndo atrás do Sérgio, eu ia pro lado da passarela eu vi a Jéssica, que gritou assim: "É, Ceres. Corre atrás desse feio, corre!" E mesmo assim eu não parei de correr. Aí o Sérgio grita: "Ela vai correr mesmo, porque ela me ama!" Quando ele disse isso, eu já tava do lado dele: "Eu já te superei, meu bem!." "Superou não!" "Superei sim, tá!?"
E a gente discutiu até ele dizer assim: "Aquela ali é a Fernanda!?" "É a Fernanda sim; OI NANDA!" Quando ela virou e eu fui cumprimentar ela, o Sérgio sumiu de novo. Ele disse que tava com pressa, argh. De repente aparece a Anna (não é a Ana, é a Anna, tem uma grande diferença), a amiga da Anna que eu não lembro o nome, a Jéssica (ela apareceu do nada de novo), e a Sarah (não a da minha escola, a vizinha). Tudo junto, na porta da casa da Fernanda, na esquina da minha rua. Foi uma confusão, a Anna perguntou do Sérgio que já tinha perguntado dela umas três vezes mas não conseguiu encontrar com ela, falamos de truco, de meia calça , de aparelho, já que eu não conseguia falar com o meu, e porra, a gente falou demais. Claaro, só juntou mulher! Quando eu penso que não, o Luiz Fernando aparece! E disse que tava com saudade, e me abraçou. Foi só eu tbm, ai a Jéssica e a Sarah morreram de ciúme, HA! Aí as meninas foram embora, eu vim pra casa o céu tava lindo, e o meu MSN tava aberto. A Sarah (a da minha sala) tinha conversado com a Ana (a Ana do "n" só) e... ah! A Ana disse que não era só porque que a gente (a gente que eu digo somos eu e a Ana) tinha voltado a conversar é que tudo ia voltar como era antes. A Ana do "n" só me iludiu. Eu não devia tá falando isso aqui, mas eu dei uma crise de choro. Aí depois eu fui dormir. E o que eu sonhei não vem ao caso agora. Nem o que eu sonhei anteotem, foi estranho. Vou fazer um post de sonhos depois.

Eu falo demais, obrigada por conseguir ler (:

27/08/2009

Com duas sensações tão extremas, não sei o que sentir.

A bipolaridade não é minha.
A bipolaridade não é de ninguém.
A bipolaridade é da situação.

Eu ainda quero uma morte temporária.
Meu coração ainda quer que eu não acredite.
Eu vou arrancar, de novo, aquela foto do guarda-roupa.
Tenho um certo medo de quinta-feira, isso já faz um tempo.

Não posso dizer tudo, tenho medo do que possa acontecer.
Eu apenas não consigo acreditar.
Só chorar.

Com duas sensações tão extremas, não sei o que sentir.
Por que sempre a dor é mais forte?
Cara, o que eu faço?

Por que o carro do meu pai estragou !?
Quando mais eu preciso de você aqui...
Não me acha ridícula por chorar à toa...

26/08/2009

e a bipolaridade me persegue.

Por um lado... perfeito, simplesmente.
Ele pára pra prestar atenção no jeito no qual eu pisco os olhos. Me fala coisas que eu nunca ouvi ninguém dizer pra mim. Eu me contento em somente ouvir o coração dele, sentir a respiração. O olhar dele faz cócegas na minha pele. Na maioria das vezes, eu penso que ele foi feito pra mim.

Por outro... horrível, simplesmente.
Eu preferia que nada disso tivesse nem começado. Nunca pensei que você ia conseguir fazer com que eu me sentisse assim, nunca. Minha vontade é chorar, mas como o motivo é você, eu prefiro esconder. Eu não ligo pra nada, agora. Só vou tentar esquecer, de novo. Sei que você não medirá esforços pra me fazer sentir mal. Não quero esclarecimentos, pois fui o mais sincera que pude, sempre. Eu reconheci meu erro, pedi perdão, reconciliação. Pena se você não pode fazer o mesmo por mim. Pena que a recíproca não é verdadeira. Isso se é que a recíproca existe.

25/08/2009



Odeio indecisão. Nem minha, nem de ninguém.
Eu já comecei a digitar esse post umas três vezes, e não tá dando muito certo.

Primeiro eu queria falar o all star amarelo de cano médio, que eu procuro à meses, desde que eu tive uma "ilusão", uma "cisma" com isso.
Aí eu descobri que só existe na linha infantil, tipo do número 18 ao 32. Eu não calço ente 18 e 32, então eu posso comprar um branco e pintar, mas minha mãe disse que não é a mesma coisa.

Eu também descobri que eu tenho uma queda pelo Eduardo Moscovis.
Isso não ajuda em muita coisa na minha vida, mas eu estou vendo Alma Gêmea por causa dele, e via Senhora do Destino também por causa dele. Vale a Pena Ver de Novo tem alimentado muito minha tara por ele.
O Beto está ficando um idiota, que coisa. Tá me ligando pra fazer umas brincadeiras idiotas igual menino de 7 anos. Deve ser fase, passa. Ou então já que a fase de "conquistar" já passou, ele não precisa de ser "perfeito" mais. Que coisa, minha cabeça tá uma bagunça.
E assim eu termino meu PIOR post.

23/08/2009

vinte e três de agosto de dois mil e nove ♥

Ceres: Alô?
Beto : Oi. (houve certa animação na voz dele)
Ceres: Sabe quem tá falando?
Beto : Claaaaro que eu sei.
Ceres: Aaaaah, que gracinha,ele reconhece minha voz *-*
Beto : É.
Ceres: O que foi?
Beto : É que eu tou jantando.
Ceres: Ah, então tá bom, depois te ligo.
Beto : NÃÃÃO, já parei.
Ceres: Tá, né.
Beto : (...)
Ceres: Ai, que saudade de você, não vou aguentar mais uma semana.
Beto : É mesmo, custa a passar.
Ceres: Eu vou morrer, Deus.
Beto : (risos)Para, sua boba.
Ceres: Tá bom, tá bom.
Beto : Pois é, já seu irmão tem voz de mulher no telefone.
Ceres: Nãao, claro que não, tá doido?
Beto : Tem sim, claro que tem ._.
Ceres: Eu não acho.
Beto : Eu acho.
Ceres: Caramba, você me ligou pra discutir isso??
Beto : Não.
Ceres: (...)
Beto : Você não está esquecendo de nada não, mocinha?
Ceres: Haan, acho que não.
Beto : NÃO ACREDITO! VOCÊ ESQUECEU! D:
Ceres: Puta merda, esqueci do que?
Beto : A gente faz um mês hoje, Ceres. (a voz dele perdeu o tom)
Ceres: Meu Deus do céu, que dia é hoje?
Beto : 23
Ceres: Tá vendo? Aaah, desculpa, desculpa, desculpa. Esqueci até que dia é hoje, tá vendo?
Beto : Tudo bem.
(Ceres burra, se a gente tá fazendo um mês, claro que hoje é dia 23, deer. A gente tinha discutido outro dia se era 23 ou 24.)
Ceres: Ah Roberto (eu não chamo ele de Beto, por incrível que pareça), que vergonha, meu.
Beto : Calma, tá tudo bem.
Ceres: Noossa, um mês é muito *-*
Beto : Eu crente que você ia falar que um mês é pouco... você vem e fala que é muito!?
Ceres: Nãão, Roberto, eu não falei nesse sentido.
Beto : Tudo bem, tudo bem, Ceres.
Ceres: Só tô dando mancada hoje, meu Deus.
Beto : Ceres, amanhã eu te ligo no mesmo horário mais ou menos.
Ceres: Tá bom ^-^ beijos.
Beto : Tchau.
Ceres: Te amo, tá?
Beto : Mentira, mas eu também te amo.
Ceres: Como assim mentira, moço!? Tá duvidando de mim agora,é?
Beto : Eu não tô duvidando de você, como assim? (a voz dele era de indignado)
Ceres: Claro, tá falando que é mentira.
Beto : Desculpa, é que é difícil de acreditar, sério.
Ceres: *---* onw
Beto : Eu tenho que ir, tá bom?
Ceres: Tá bom D:
Beto : Te amo, te amo, te amo.
Ceres: Eu também te amo, meu lindo.
Beto : Mentira !
Ceres: Desliga logo, bocó!
Beto : Tá bom ... beijo.
Ceres: Beijo.
(E eu ainda não me contentei em desligar o telefone e não repetir que amava ele. Uma vozinha me gritava: CONVICÇÃO, CONVICÇÃO!)

21/08/2009

meu céu de todo dia.

É impressionante a quedinha que eu tenho por céu. Pode tá nublado, azulzinho, roxo, rosa, laranja (tipo agora)... que eu continuo achando lindo. Eu e a Ana, sempre que a gente ia no cinema, ficava de olho pra ver se não aparecia um céu que ocupasse a tela inteira. A gente inventou isso quando fomos ver 'Divã'. E não é que de cinco em cinco minutos aparecia um céu?

Mas creio que isso não é o que vocês querem ler. Tenho que dar satisfações sobre minha vontade de morte temporária. Pois então. Eu estava pensando que já era passado de alguém. Cara, isso dói, sabia? Eu ainda não tinha citado que fazia uns 2 meses que eu não conversava com a Ana. Mesmo assim eu avisei que vocês iriam ler muito sobre ela. Mas o fato que é que eu não aguentava mais ver ela passar do meu lado e não parar pra me apertar, me chamar de cebeçuda e conversar comigo, quando eu não estava nas fotos felizes dela... Cara, de melhor amiga pra 'mera conhecida'... é bem complicado. E dá vontade de morrer, ai Deus.

Agora o céu se encontra cinza, com nuvens rasgadas e, bem embaixo, ainda laranja.

Mas aí a gente conversou. Eu vi que o que eu sentia ela sentia também. E me deu vontade de ficar viva, de novo. Pelo menos pra ver o que acontecia.
Não voltou tudo ao normal, mas o suficiente pra me deixar feliz de novo.

O Beto tá doente, emagreceu uns seis quilos, segundo ele, e tá com saudade de mim, isso é sério, ela precisa de mim lá pra melhorar, urgente. HAHAHA.
Aii, tô com saudade dele também. Muita saudade. É... convicção é o que não em falta.

18/08/2009

NUNCA pensei que algum dia eu ia dizer isso. Mas eu estou com uma vontade enorme de ir embora daqui. Parece que eu não significo mais nada pra ninguém.
Eu não quis dizer ir embora de BH pra ir pra Sete Lagoas, não é isso.
Eu estou falando de ir embora, para longe daqui, fora do alcance das mãos e dos olhos de todo mundo. Uma morte temporária seria perfeito.

16/08/2009

amor, amor, amor !

Era sábado. No caso, ontem de manhã. Eu já sabia!
Pé na estrada, SETE LAGOAS!
Nem comer eu consegui. Se bem que o aparelho que tinham enfiado pela minha boca afora na quinta não tava ajudando muito; mas mesmo assim me contentei com meu cafézinho de sempre.
Eu estava MUITO nervosa, muito muito mesmo. Eu... eu ainda não tinha convicção de nada em relação ao Beto, e eu tava quase arrancando os cabelos de nervozismo.
No carro eu pouco falava (coisa rara de se acontecer, eu falo pra bosta).
E quando eu cheguei lá, a primeira coisa que eu fiz foi descer do carro e falar com a minha mãe: "Eu vou pra casa do Roberto, tá bom?" e sair descendo a rua, com os punhos fechados, meio com o corpo duro, o coração desparado... não foi uma sensação das boas não, de verdade.
Virando a esquina e descendo mais um pouquinho, eu não vi mais nada a não ser o muro baixinho e o portão pequeno da casa dele. Bati algumas vezes até a mãe dele vir atender: "CEEERES! Fiiia, você já chegou! Entra, entra!"
Ela estava de camisola, lavando o tapete. Descobri que ela tinha uma tatuagem que não consegui identificar (pelo o que parecia ela tinha feito a muito tempo) assim, meio que acima do seio esquerdo. Mas eu saí totalmente do meu raciocínio sobre a tatuagem inesperada quando eu "reparei" que eu tava sentada num sofá azul, na casa do Beto, mas SEM O BETO.
E ela falando: "Não, o Roberto não tá aí, ele tava doido atrás de você, que você não chegava, ele não parava de falar, fia ! Você tinha que ver!"
A única coisa que eu conseguia fazer era sorrir, sorrir, e sorrir. Eu não podia fazer nada enquanto ao aparelho que rasgava minha boca toda vez que eu tentava falar.
Só sei que eu voltei pra casa, depois fui comprar refri com a minha mãe.
Na hora que eu tava voltando... tava lá a criatura, montada na bicicleta.
BICICLETA, ARRGH ! E ainda é igual a do Sérgio D: mas isso não vem ao caso.
Ah... ele veio andando na minha direção assim... ai a gente se abraçou...
Foi nessa hora que eu vi QUANTA SAUDADE eu sentia, o quanto que eu queria ele, o tanto que eu NECESSITAVA dele... e não deu mais vontade de soltar. (Quando eu lembro sobe até uma coisa estranha em mim) e assim, eu ganhei minha convicção de novo.
Ele me disse, que quando ele me ligou pra tirar as satisfações e eu disse que não sabia, e blá blá blá, ele pensou que tudo tinha acabado, e ia ficar com não sei quem aí. Ele tinha marcado com a menina na quinta e não deu, na sexta tbm não deu, ai no sábado, PIMBA ! Eu apareci. Cacete, que sorte a minha, de verdade.
Aí depois, a mãe dele apareceu. Isso já era de noite, e eu tava debaixo do poste que tem no portão de casa, que eu sempre fico abraçada com o Beto *-*, mas ele tava na padaria :3
Pois então, a mãe dele me chamou, e perguntou pra mim pela minha mãe (as duas se amam), e ai a minha mãe falou pra ela entrar. Essa foi a parte mais difícil, porque quando a mãe do Beto entra lá em casa, tava meu pai e a minha mãe conversando. Saca só a apresentação da minha mãe: "Ah, Preto (meu pai não chama Preto, é apelidinho carinhoso), essa daqui é a Elis (que se lê "Élis"), mãe do Roberto". meu pai- "Aaaah, você que é a mãe do namorado da minha filha!*-*" e estica a mão pra ela. GELEI.
Aí eles começam a conversar, e meu pai me manda picar a mula ._.
De repente, o Beto chega, procurando a mãe dele. E foi lá dentro falar pra ela que tinha comprado o pão. Imagina: eu, o Beto, MEU PAI, minha mãe e a mãe do Beto. o_o
Resultado: o Beto pediu pro MEU PAI pra namorar comigo. Meu pai deixou e disse aqueles discursos. Igualzinho nos filmes, IMPRESSIONANTE. Quase chorei.
Ah, eu quero mesmo, de verdade, que a gente dê certo.
FINALMENTE, meu primeiro namorado. E de quebra setelagoano ! *-*

14/08/2009

tudo (?)

Ah, oi.
Meu nome é Ceres, e eu tenho 14 anos. Faço aniversário dia 7 de janeiro, moro em Belo Horizonte e, futuramente, em Sete Lagoas.

Sete Lagoas é uma cidade legal, dá pra ver a Lua o dia inteirinho no céu, e à noite, faz frio. Eu gosto de frio.

Pelo o que eu tenho vivido lá, principalmente ultimamente, tem me feito gostar mais de lá. Só não sei se continuaria nesse ritmo depois de eu me mudar pra lá, no ano que vem.

Tecnicamente, eu tenho um namorado lá, coisa que eu não tenho aqui. Mas eu tenho medo, para ser bem sincera. Tenho medo de não alcançar as expectativas dele. Parece que ele gosta de mim mesmo, e pelo menos por enquanto eu não consigo corresponder à altura.

Aqui em Belo Horizonte, eu não tinha um namorado. Eu tinha um enrolado.
Isso...enrolado. Um ÓTIMO adjetivo para ele. Eu sempre fui apaixonada por ele, pra falar a verdade. E sei, como ninguém, como não ser correspondida dói, e eu tenho medo do Beto ficar triste comigo; de eu fazer a mesma coisa que fizeram comigo.

Quando meu enrolado (vamos chamá-lo assim) vinha aqui para minha casa, e eu o via no portão montado em cima da bicicleta, minha mão ficava gelada, meu coração disparava, e eu ficava com uma cara de lerda incontestável.
Quando ele me beijava...eu ia em outro mundo. Só de ouvir o nome dele vinha uma coisa estranha em mim. E com o Beto é diferente. Tudo o que eu sentia, eu sinto nele. O coração dele fica igual a um tambor quando ele chega perto de mim, e, como um capricho, eu me contento em simplesmente parar pra ouvir os batimentos dele.

Garanto que quando o tal enrolado me perguntava: “Ceres, que você tem?” Apertando a minha mão contra o rosto dele, e eu ficava mais gelada era puro capricho dele também.

Puta que pariu, eu sou tão horrível assim?

Teve uma vez, que eu desejei nunca mais ver o enrolado. Aliás, o nome dele é Sérgio, pronto, eu falei. E na festa da Ana (você ainda vai ler muito sobre ela), ou melhor dizendo, na cozinha da casa da Ana onde rolava a festa da Ana, o Luis (você ainda vai ouvir muito esse nome) me beijou. Foi até um beijo legal, eu admito. Aí, depois desse dia, ele sempre mandava mensagens no meu celular. Teve uma que eu decorei, até. Ela dizia assim: “Não posso negar que penso em ti a todo momento, e, que de certa forma, sinto um estranho calor me invadir só de ouvir seu nome... Se isso que eu estou sentindo é realmente AMOR, quero ficar ao teu lado e sentir isso para sempre.”

Foi assim...uma das coisas mais bonitas que já me disseram. Lindo. Quase chorei.

O Luis sempre dizia que ia vir aqui em casa pedir meu pai pra namorar comigo! Mas nunca veio. Passou outubro, novembro, dezembro, janeiro, fevereiro, março... e pra te falar a verdade, meu amigo ou amiga, eu até gostava dele. Mas se eu te contar você não acredita: eu só fui vê-lo outra vez em maio. Outro que não deu certo. Eu tenho quase certeza que por causa dele “Luises” começaram a me perseguir.

Se for olhar por um todo, esse história toda não valeu nada. Ta bom que o Luis é mais velho que eu, sabe falar coisas bonitas, ri das minhas piadas e me liga às vezes. Mas depois de mim ele ficou com duas amigas minhas e namorou com mais uma. É certo que teve até um período de tempo entre eu e as outras, mas... sei lá, não é coisa que se faça com garotinhas indefesas de 14 pra 15 anos. O pior é que eu tinha 13 quando ele me agarrou.

Se eu for contar o motivo da minha queda por “Luises” isso daqui vai ficar chato.

O fato é que finalmente eu arranjei um namorado, e não ta dando muito certo, pelo menos pra mim.

Hoje eu estava com a Fernanda, pensando. Eu ainda tenho MUITO receio em relação ao Beto, é ruim fazer as pessoas como um capricho pra você, pra aumentar sua auto-estima. Não é só porque ele me chama de linda toda hora, e vive falando “Que me ama do jeito que eu sou” é que eu devo me aproveitar do coitado. Eu sei que isso é errado.

Ele me ligou faz exatamente 37 minutos. Ele me perguntou se estávamos realmente namorando, o que é que estava acontecendo. Eu fiquei com medo, receio. Geralmente pessoas não me ligam pra tirar satisfações. O que eu pude dizer foi que, eu não sabia, que eu tinha dúvidas. Cara, já chega o que estava fazendo com ele, eu não podia deixar de ser sincera.

Antes de ir embora, quando eu estava com ele, ainda, eu fui o mais sincera possível e disse pra ele que eu ainda não tinha certeza. Quando eu voltasse ia conversar com ele, ia tomar minha decisão.

Já vou voltar esse final de semana, e na maioria do tempo que tive pra pensar achei que estava convicta. Que era ELE mesmo que eu queria. Mas agora...me falta convicção. Eu a perdi. E que pena. Eu queria ser o suficiente pro Beto.

02/08/2009

Sinceramente,
não sei como você conseguiu se esquecer de mim tão rápido.
Ando segurando minhas mãos que insistem em querer pegar o telefone e discar seu número.
Quero que você faça parte da minha vida novamente.
Sinceramente ...
eu morro de saudades suas.
Só tenho pensado numa forma de te ter perto de mim novamente.
Temos pouco tempo antes que minha teoria se concretize, que eu vá embora, e que nossas chances fiquem escassas.
Eu tenho medo do seu orgulho.
Tenho medo de receber um não como resposta.
Indepedente do que aconteça, quero lembrar-te: ainda te amo.

26/07/2009

14/07/2009

Qual é o problema do "meio termo", pode me responder ?
Já não bastou eu dizer que tomei uma decisão precipitada ?
É muito complicado pra nós, ou melhor, pra você.
Mas tenta me entender.
Desculpa se eu não alcancei suas expectativas.
Desculpa, a sua opção não quero aceitar.
Desculpa não te amar o tanto que eu deveria.
Desculpa, desculpa...
Você não sabe a falta que faz.
Você não sabe a falta que me faz.
O quanto me dói o que está fazendo, você não tem idéia.
Qual o problema do "meio termo" ?

13/07/2009

Voltando às boas novas

Pelo menos, é o que eu estou tentando.
Eu continuo sem conseguir postar alguma coisa decente aqui, e eu não sou a única.
E o pior é que eu não posso inventar desculpa alguma, porque eu sou uma pessoa desocupadíssima, geralmente eu não faço nada.

A única coisa que me anima é que eu vou pra dentista amanhã, provavelmente tirar esse mostro que ela colocou na minha boca e colocar um aparelho móvel, que me permite comer, falar ... enfim, ter uma qualidade de vida melhor.

E também é impressionante de como todo mundo carente, todo mundo querendo namorado.
Vai ver que eu enxergo as coisas assim por ser a principal personagem da minha própia história: fria, sem educação, mais melancólica do que pedra molhada de chuva, mau-humorada e acima de tudo carente. Ficar muito tempo sem ter algum contato físico com segundas intenções com alguém não faz bem, e por favor, não me leve a mal.

A questão maior é: isso está me irritando.
Talvez até mais do que o fato de que meu irmão está ficando cada dia mais insurportável, ou até mesmo que ter que passar o pouco de férias que eu tenho em Sete Lagoas.

Sete Lagoas ... pra quê eu vou ter que ir pra lá esse semana que vem, sendo que um dia eu vou ter que me mudar pra lá ? SEM A MINHA VONTADE ?
Melhor ficar sem fazer nada aqui do que ficar sem fazer nada lá.
Não tenho um motivo claro pra querer ir pra lá.
Não achei que ninguém combinasse comigo, que eu pensasse o mesmo que eu, que concordasse comigo, ou qualquer dessas coisas que fazem nós sermos amigos um dos outros.
Então lá eu fico o DIA INTEIRO dentro de casa, deitada, dormindo, sem fazer nada... sem ninguém pra conversar ... e as meninas que moram lá ... puts, totalmente sem cultura, ouvem só funk, dão em cima dos meninos na rua e ficam de shortinho o tempo todo, pra tudo.
Nada disso faz muito o meu tipo.

Eu, pra ser bem sincera, não quero ir morar lá nem a pau juvenal.
O pior, é que eu não tenho escolha, tenho que ir pra lá de todo jeito.
Arrrgh, que aperto que isso dá. Minha vida está se deteriorando a cada segundo que passa.
Tudo o que eu tinha vontade de fazer tá ficando impossível.
Primeiro Petrópolis, segundo ficar aqui.
E essas são duas coisas muito importantes pra mim.
Eu não posso mudar isso, então vou parar de falar disso.

Preciso até me mudar meus pensamentos.

Então, como eu ia dizendo, tá tudo na mesma.
Minha mãe nada que deixa eu furar meu nariz. A Talita ia furar pra mim, mas o dela deu infecção, e ela não quis mais furar o meu, que merda.
Eu não ia morrer caso eu fizesse um furinho à toa no meu nariz, mas eu tenho que ficar na minha, não estou num dos melhores momentos pra discutir com a minha mãe.

De qualquer forma, é içaê .

08/07/2009

... e o que eu menos quero é dificuldade.

eu simplesmente não sei mais o que postar.
tá meio difícil de captar tudo o que acontece.
então vai ser assim até que ... até que o que eu espero aconteça.
o que eu espero ?
tá aí uma pergunta difícil de responder.
e o que eu menos quero é dificuldade.

01/07/2009

O1/O7 - um dia legal .

p    ow. (N)    de férias, há !              diz:
*então, um dia, faz teeeempo minha tia foi naquele lugar que eu não lembro o nome, que tem a catedral, sei lá eu :S e ela me trouxe um escapulário (?), e ah, ele fazia parte de mim mais do que qualquer coisa, porque eu não tirei do pescoço desde o dia que eu ganhei até hoje que eu decidi te dar (:

e não foi só isso que conseguiu estampar um sorriso no meu rosto.
hoje, desde que eu acordei eu vi que seria um dia legal.
eram 3 da manhã, o telefone toca, e era a amiga da minha mãe falando que o irmão dela morreu .
e depois, quando eu fui acordar de novo, era a Ornela cantando "Import Myself Because".
é que eu baixei a música do youtube pelo converta em formato de mp3, e PIMBA ! pus no meu celular, ai desperta pra mim *-*
sinceramente, é uma boa maneira de matar meu mau-humor antes de ele aparecer, logo quando eu acordo. Desculpa Axlgatinho, mas eu desviciei em Sweet Child O Mine pra ouvir a música dela.
hoje eu fui no Parque Municipal, o lugar mais cool do bairro Funcionários, onde os emos vão pra passar o tempo, as pessoas saudáveis pra fazer caminhadas e LeParkur (se é assim que escreve), roqueiros vão porque lá todo mundo é estranho mesmo e ninguém zoa ninguém, os alunos menos aplicados (principalmente da minha escola) vão quando não querem assitir aula, casais vão pra se pegar e coisas do gênero.
Mas eu não fui pra fazer qualquer uma dessas coisas, tecnicamente, eu fui prum teatro estranho, de nome estranho, que tinha uma mulher no meio do parque com uma cadeira e comendo açúcar, outra dormindo em cima da cabeça do Augusto de Lima ou do Bias Fortes, não sei, e o Luiz pegou na minha mão, ha ! (coisa de prezinho)
tô tão elétrica que eu não consigo pensar nem digitar, tem muita coisa na minha cabeça, vou comer feijão, tchau .

29/06/2009

Luta interna maldita.



É, isso mesmo.
Eu briguei com a minha mãe, ela disse pra mim tirar o nome da lista pra viagem de Petrópolis.
Ow, eu tava esperando tanto, ela não pode fazer isso !
E eu também tenho que falar com ela que eu não quero, não quero mesmo morar em Sete Lagoas, e que ela me interpretou muito mau quando a gente conversou.
Ah, meu Deus, eu quero TANTO ir pra lá, o que que custa ?
Ela sabe o quanto isso é importante pra mim ... e eu venho andado tão triste ...
Mas sabe, eu odeio quando uma pessoa me conhece melhor do que eu mesma, como ela pode saber exatamente o que está acontecendo ?
E ela sempre está certa... é exatamente como se fosse eu, mas fora de mim.
E eu pensando que isso era impossível ...
Mas me irrita, e ela querendo me ajudar, não acredito que eu fiz isso !
Agora eu vou ter que tirar meu nome da lista, eu não quero !
Ela não viu que assim só vai piorar as coisas ?
Se ela sabe que não tá bem, porque ela não me pergunta por que, ao invez de falar se é isso ou aquilo ? Pôoxa, eu só não queria preocupar ela, queria que ela achasse que tava tudo bem, ela devia ter ficado agradecida, isso não é justo.
E amanhã tem aula de história, se eu tirar meu nome da lista agora eu perco a vaga de vez.
Aaaaaaaaaah não, ela não viu que me deixou mais triste ainda.
Eu vou é deixar um depoimento no orkut dela falando tudo também !
Porque se eu for conversar com ela ... não vai dar muito certo, e eu ando muito sensível, vou ter um ataque de choro. De novo.
E eu fui jantar, meu aparelho quebrou, o Luan me irritou a tarde inteira, minha luta interna é cada vez mais... dolorosa, e eu quero muito ter um piercing no nariz.
A Luciana vai falar tanto na minha cabeça por causa do aparelho, segunda vez que eu quebro.
Como eu sou burra ao ponto de morder um osso ?
Eu quero cavar um buraco BEEEM FUNDO e enfiar minha cabeça lá dentro.
Nem o fato de ter sonhado com o Jean pela primeira vez em tanto tempo e estar convicta de que eu quero ficar com ele; quando a gente se encontrar me deixa melhor.
Amanhã vou tentar fazer alguma coisa.
Tipo enfiar na frente de um ônibus, pular da varanda, fumar, beber, cortar os pulsos ou algo do gênero.
A vida está um fiasco! FIASCO ! não tem onde piorar ... não tem mesmo.
E a vontade de chorar que não passa... eu queria mesmo que tudo voltasse a ser como era antes, mas eu não consigo.
E eu pergunto novamente : Qual o melhor jeito de morrer ?

27/06/2009

Eu preciso de sentir meu coração pulsar novamente por você.
Minha mão gelar quando você estivesse por perto, de ficar nervosa, te esperando no meu portão.
De sorrir pro seu sorriso, dos meus olhos brilharem por olhar os seus, de dar gargalhadas por dentro quando você pegasse na minha mão... queria que tivesse dado certo.
E eu... eu não sabia o quanto você me fazia bem.
Agora me dá saudade.
Eu preciso de sintir meu coração pulsar novamente por você, talvez.
Preciso de sentir a chuva pousar fina, chata e fria sobre minha pele, de sentir seu abraço quando chegasse, seu beijo quando partisse, o som do teu riso.
Por mais que eu precise, que eu queira, não vou te ter novamente.

Satisfação

Eu simplesmente fiz o que achava melhor pra mim.
Você pensava que estava de olhos fechados,
mas na verdade, quem estava era eu.
Eu simplesmente abandonei minha vida, para viver a nossa
e vi que era um erro.
A partir desses dias, minha cara, eu quero pensar em mim,
não em nós.
Eu vi que deixar tudo e todos pra ser quem você quer que eu seja não era o melhor pra mim.
Desculpa se eu te poupei explicações,
eu não quero e não vou jogar palavras fora.
Resolvi pensar em mim, fazer por mim.
Quero viver a MINHA vida,
respirar o MEU ar,
ter os MEUS sonhos,
ter o MEU brilho própio,
ter a MINHA música favorita,
ter os MEUS amigos,
ser quem eu sempre quis ser.
Tudo muito diferente desde quando você entro na minha vida.
Não que eu nunca gostasse de você, mas na única vez na minha vida toda, eu consegui pensar com a cabeça, não com o coração.
Saiba que eu não estou mais vulnerável, estou carente.
Não de uma amizade, mas de um amor.
Não quero mais possessão, quero liberdade.
Não quero mais isso pra mim.
Não quero explicações suas, não quero nada.
Só quero que continue do jeito que está.
E foi bom enquanto durou, bom pra você .

26/06/2009

Centésimo Post, finalmente !

Sim, esse é meu centésimo post nesse blog, e eu não queria que fosse qualquer coisa, mas têm bastantes chances de ser.

Primeiramente, ontem o "Rei do Pop", Michael Jackson faleceu.
E, sinceramente, eu só não aguento mais que só fiquem falando dele. É no twitter, na MTv, no rádio, na escola ...
Tudo inspira, respira e cospe MICHAEL JACKSON. Eu só acho que isso é um pouco demais.
Eu nunca fui tão fã dele, mas cá pra nós ... ele tem muitos fãs por aí.
Mas saibam que se o Axl morrer, eu vou ficar assim, muito ruim.
E como não é o caso, tá tudo bem.
Não vai adiantar eu querer que essa febre "Não acredito que o Michael morreu" passe, porque "ainda vamos ouvir muito falar dele. ele é rei, e reis são imortais", mais ou menos o que disse a Luísa, VJ da MTv.
E eu não tô fugindo da "tradição" de falar dele hoje.
Na verdade, eu nunca tive uma coisa com Michael Jackson, pôsters do Michael Jackson, músicas do Michael Jackson ... mas TEMOS que aceitar que ele teve, tem e sempre terá uma influência muito forte sobre a música.

Mas o que me incomoda mesmo agora é meu aparelho.
Eu pus de novo, e não consigo mais cantar .
Não que eu cante bem, mas eu gosto.

Então, como eu (nem ninguém) consegue parar de falar do Michael, eu vou terminar meu post por aqui.
Quem sabe amanhã eu não consigo falar de mim ?

25/06/2009

Here I'm , again .

De uma certa forma, estou nova em folha.
Eu estou aqui, de novo.
Eu fiz uma coisa que nunca imaginei fazer na vida sem chorar eu ter qualquer uma recaída.
E eu me saí super bem, e isso me fez muito bem, sabe ?
Apesar de tudo estar sendo muito diferente, eu consigo levar.
Ultimamente eu tenho me sentindo mais autêntica, mas solta .

Mas mudando de assunto, meu aparelho caiu.
Graças a Deus, eu queria comer.
A primeira coisa que eu fiz foi fazer um prato gigante de feijão e mandar pra dentro, foi legal, tinha cansado de sopa.
Amanhã eu volto pro dentista, coloco o aparelho de novo, e meu pesadelo recomeça, que coisa !
Eu já tava era pensando em algum cobaia, sabe ?
Queria saber como que é beijar com aquelas grades horrendas.
E quem ia querer beijar uma menina que não consegue nem falar ?
Eis a questão !

E eu também acho que ocupei meu coração de novo.
Apesar de eu me apaixonar muito fácil, agora tá difícil .
Dizem que é normal uma adolescente se apaixonar por mais de um garoto ... mas é bem estranho se "interessar" por 5 ... e todos praticamente com o mesmo nome !
Pelo menos eu tenho muitas opções caso eu leve um fora, certo ?

Assim, eu queria mesmo era alguém pra ir ver New Moon cmg no final do ano, ir cmg no dentista, conversasse comigo quando eu estivesse deprimida e entendesse meu amor retraído pelo Axl Rose.

Mas os dias vêm passando devagar, a semana rápido, e o mês voa .
Daqui a pouco eu faço as malas, vou pra longe daqui, e pelo menos consigo amenizar minha luta interna totalmente normal, coisa de adolêscência.

E parece que eu já vivi taanto, mas eu mal comecei :/

21/06/2009

Eu só tenho tido vontade de chorar nas últimas horas.
Eu não sei mais quem eu sou, ou o que eu quero ser.
Melhor a morte do que viver isso.
Melhor viver do que morrer com isso.
Qualquer coisa seria melhor que isso.
A vida inteira eu corri atrás de alguma certeza, e agora, mais do que nunca, eu preciso, NECESSITO de uma.
Por hora, sobre mim, eu só sei meu nome.
E isso, pra mim, não é o suficiente.
© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.