13/07/2009

Voltando às boas novas

Pelo menos, é o que eu estou tentando.
Eu continuo sem conseguir postar alguma coisa decente aqui, e eu não sou a única.
E o pior é que eu não posso inventar desculpa alguma, porque eu sou uma pessoa desocupadíssima, geralmente eu não faço nada.

A única coisa que me anima é que eu vou pra dentista amanhã, provavelmente tirar esse mostro que ela colocou na minha boca e colocar um aparelho móvel, que me permite comer, falar ... enfim, ter uma qualidade de vida melhor.

E também é impressionante de como todo mundo carente, todo mundo querendo namorado.
Vai ver que eu enxergo as coisas assim por ser a principal personagem da minha própia história: fria, sem educação, mais melancólica do que pedra molhada de chuva, mau-humorada e acima de tudo carente. Ficar muito tempo sem ter algum contato físico com segundas intenções com alguém não faz bem, e por favor, não me leve a mal.

A questão maior é: isso está me irritando.
Talvez até mais do que o fato de que meu irmão está ficando cada dia mais insurportável, ou até mesmo que ter que passar o pouco de férias que eu tenho em Sete Lagoas.

Sete Lagoas ... pra quê eu vou ter que ir pra lá esse semana que vem, sendo que um dia eu vou ter que me mudar pra lá ? SEM A MINHA VONTADE ?
Melhor ficar sem fazer nada aqui do que ficar sem fazer nada lá.
Não tenho um motivo claro pra querer ir pra lá.
Não achei que ninguém combinasse comigo, que eu pensasse o mesmo que eu, que concordasse comigo, ou qualquer dessas coisas que fazem nós sermos amigos um dos outros.
Então lá eu fico o DIA INTEIRO dentro de casa, deitada, dormindo, sem fazer nada... sem ninguém pra conversar ... e as meninas que moram lá ... puts, totalmente sem cultura, ouvem só funk, dão em cima dos meninos na rua e ficam de shortinho o tempo todo, pra tudo.
Nada disso faz muito o meu tipo.

Eu, pra ser bem sincera, não quero ir morar lá nem a pau juvenal.
O pior, é que eu não tenho escolha, tenho que ir pra lá de todo jeito.
Arrrgh, que aperto que isso dá. Minha vida está se deteriorando a cada segundo que passa.
Tudo o que eu tinha vontade de fazer tá ficando impossível.
Primeiro Petrópolis, segundo ficar aqui.
E essas são duas coisas muito importantes pra mim.
Eu não posso mudar isso, então vou parar de falar disso.

Preciso até me mudar meus pensamentos.

Então, como eu ia dizendo, tá tudo na mesma.
Minha mãe nada que deixa eu furar meu nariz. A Talita ia furar pra mim, mas o dela deu infecção, e ela não quis mais furar o meu, que merda.
Eu não ia morrer caso eu fizesse um furinho à toa no meu nariz, mas eu tenho que ficar na minha, não estou num dos melhores momentos pra discutir com a minha mãe.

De qualquer forma, é içaê .
Faça o seu comentario!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.