28/08/2009

Eu precisava de contar isso pra alguém... de novo.

Pois é, vou aproveitar o momento pra dizer TUDO o que aconteceu, sendo mais direta possível. Está passando muita coisa na minha cabeça, mas eu vou conseguir. Cuidado com a mistura de casos e muita coisa ao mesmo tempo, vai ser complexo.

Primeiro: Meu namoro está ÓTIMO. O carro do meu pai quebrou, então eu não vou pra Sete Lagoas esse final de semana. Aí a minha mãe teve uma idéia. E a idéia foi ótima por sinal: chamar ele pra passar o final de semana aqui. Por que eu não tinha pensado nisso antes !? E se der tudo certo ele vai pra cá (com a mãe dele) no domingo. Vai ser muito bom pra matar a saudade dele. Que namorada desnaturada que eu sou, faço um mês de namoro, esqueço a data e ainda não vou ver o menino!? Eu estou convicta de que eu preciso de ver ele, e isso é um fato. O que eu tenho que fazer agora é esperar (anciosamente) ele chegar. Vai dar tudo certo. Aliás, vai dar tudo muito certo.

Segundo, terceiro e talvez quarto: Ontem o dia foi meio... diferente. Fui pro dentista com a roupa mais louca que eu tinha em mente: uma blusa branca com a estampa laranja, um cinto branco com bolinhas pretas, um short preto com meia calça roxa, all star preto, blusa de frio preta e a bolsa preta da minha mãe (eu tava num dia meio emo). Demorei lá da escola até aqui em casa pensando nisso, foi muito complexo pra mim pensar, ainda mais com o tanto de coisa que eu tinha em mente. O resultado não foi diferente: eu chamei muita atenção. E eu gosto de atenção. Às vezes eu até devo estravazar com minhas roupas, mas eu supero. Eu e quem anda comigo. Mas então, só sei que voltei pra casa com o aparelho roxo, mas eu queria lilás. É tão difícil entender isso!? Sem falar daquela grande lingual idiota que eu fui obrigada a usar de novo. Pelo menos não tem o dijuntor (desculpa a língua odontológica). E o Sérgio (lembra dele!? Tenho um caso pra contar sobre ele tbm) ficava teimando cmg que meu aparelho relamente era lilás, não roxo. Roxo era o alargador dele (é, ele alargou a orelha). Na quarta eu fiquei feliz com o Sérgio. Ele me disse que lia o meu blog, e ficava feliz quando eu falava dele. Aí ele disse que ia vir aqui na sexta (hoje) com a calça skinny pra mim ver. Esse Sérgio filho da mãe tá me tentando... ele tá muito lindo com aquele cabelo sem cortar (pára de se gabar, menino). Só sei que ele me arrastou pra estação do metrô com ele, porque ele ia encontrar o Rafael (o amigo tecnicamente lindo, sarado e atraente; segundo ele. Tecnicamente porque eu não acho tanto assim, ele nem faz meu tipo). Aí eu encontrei com o Gui. Porra, a quanto tempo eu não via o Gui, fiquei feliz de ter visto ele e o cabelo legal dele. Enquanto eu tava destraída falando pro Gui a saudade que eu tinha dele, o Sérgio saiu andando da estação e me largou lá. Cacete, ele devia me levar em casa! u_u Quando eu larguei o Gui e sái correndo atrás do Sérgio, eu ia pro lado da passarela eu vi a Jéssica, que gritou assim: "É, Ceres. Corre atrás desse feio, corre!" E mesmo assim eu não parei de correr. Aí o Sérgio grita: "Ela vai correr mesmo, porque ela me ama!" Quando ele disse isso, eu já tava do lado dele: "Eu já te superei, meu bem!." "Superou não!" "Superei sim, tá!?"
E a gente discutiu até ele dizer assim: "Aquela ali é a Fernanda!?" "É a Fernanda sim; OI NANDA!" Quando ela virou e eu fui cumprimentar ela, o Sérgio sumiu de novo. Ele disse que tava com pressa, argh. De repente aparece a Anna (não é a Ana, é a Anna, tem uma grande diferença), a amiga da Anna que eu não lembro o nome, a Jéssica (ela apareceu do nada de novo), e a Sarah (não a da minha escola, a vizinha). Tudo junto, na porta da casa da Fernanda, na esquina da minha rua. Foi uma confusão, a Anna perguntou do Sérgio que já tinha perguntado dela umas três vezes mas não conseguiu encontrar com ela, falamos de truco, de meia calça , de aparelho, já que eu não conseguia falar com o meu, e porra, a gente falou demais. Claaro, só juntou mulher! Quando eu penso que não, o Luiz Fernando aparece! E disse que tava com saudade, e me abraçou. Foi só eu tbm, ai a Jéssica e a Sarah morreram de ciúme, HA! Aí as meninas foram embora, eu vim pra casa o céu tava lindo, e o meu MSN tava aberto. A Sarah (a da minha sala) tinha conversado com a Ana (a Ana do "n" só) e... ah! A Ana disse que não era só porque que a gente (a gente que eu digo somos eu e a Ana) tinha voltado a conversar é que tudo ia voltar como era antes. A Ana do "n" só me iludiu. Eu não devia tá falando isso aqui, mas eu dei uma crise de choro. Aí depois eu fui dormir. E o que eu sonhei não vem ao caso agora. Nem o que eu sonhei anteotem, foi estranho. Vou fazer um post de sonhos depois.

Eu falo demais, obrigada por conseguir ler (:

4 comentários:

  1. E quem não gosta de ursos? aeoiuhe
    Tipo, eu li todo o post, mas acho que pra sabe a maioria das coisas deveria te lido outros ._. entao me perdi rs
    gosteei do seu bloog tambeem :B seguiii ok? :D
    :*

    ResponderExcluir
  2. voou siim :B gostei das histórias e de como tu escreve :D
    tu tambem, tenta acompanha as bobagens que eu posto lá xDD

    ResponderExcluir
  3. morri de rir no seu texto.. voce é meio louquinha né?
    kkkkkkkkkkkkkk
    Nossa, que dia cheio hein?!Tanta gente, me perdi ali no meu com ana de um n anna de dois n's....
    enfim, adorei o blog =D
    ah, esquece a ana, a que de iludiu =D
    e o sergio, vcs são só amigos?!
    Adorei o 'tecnicamente' ^^

    beeeijão

    ResponderExcluir
  4. Eu li tudo, isso é quase um milagre, kk'
    fiquei meio perdida, porque é o primeiro post do seu blog que eu leio, mas eu gostei (:
    Essa historia de Anna, Ana, vive me perseguindo, só que no meu caso é que minha amiga que era Ana, virou Anny com dois ''n'', só que conheço uma any de um n só e anas de um n ou mais, no final, nem sei quem mais é quem.

    ResponderExcluir

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.