13/09/2009

3 banhos, 30 minutos no telefone, 3 visitas, 3 meses


Belo domingo, eu diria. Eu não fui trabalhar hoje, por pura preguiça. Fiquei em casa a manhã inteirinha, sem fazer nada. O Ícaro foi pra casa da minha tia ontem, e acabou de chagar aqui. O Léo foi pro mineirão ver o jogo do Atlético Mineiro contra o Atlético Paranaense. Não sou muito de futebol, por isso nem sei como que o jogo terminou. A Fernanda veio aqui, ajudar a resgatar meu domingo ingo ingo. A gente tirou algumas fotos legais, fiquei em cima dos tijolos que têm no quintal, e lá de baixo a Fernanda ficava tirando umas fotos e a vizinha que me via por cima do muro gritava pra mim não encostar a mão no fio. Assim que a Fernanda foi embora, a Bela chegou. A gente ficou no meu quarto conversando um pouco, e eu TENTEI fazer pão de queijo, mas nem pra desgrudar eles eu prestei. Ficou um pão de queijo gigante, e cru por dentro. O Sérgio (o enrolado), veio aqui hoje. De uma certa e dolorosa forma, eu fiquei muuito feliz por ver ele. (ele vai entender a bolinha azul)
A gente ficou discutindo. Eu tenho certeza absoluta que no primeiro dia que ele veio aqui ele tentou me beijar. E ele diz que não. Caramba, eu tenho certeza absoluta. Ele não lembra nem da roupa que eu tava usando na última vez que a gente se viu, muito menos do cinto de bolinha. Eu estava usando o cinto de bolinha dia 17 (?) de setembro, o dia mais ... conturbado (?) desse enrolo todo. E na ultima vez que a gente se viu também.
Mas ah, isso não faz muita diferença mais. Pelo menos não devia fazer.
Mudando de assunto, ontem foi um dia estranho. Tava tudo muito fora do que seria normal pra mim. Saí daqui 16hrs, pra ir pro shopping Cidade, com a Fernanda, e não tinha muita coisa pra fazer lá. O Roberto tinha me prometido que ia me ligar, e eu não fiquei muito preocupada. Culpa dele eu estar engordando desse jeito. Quando eu fico ansiosa (além de outras coisas), eu como. E ele com aquela conversa, ai meu deus. Até hoje ele não liberou muita coisa, a não ser:
- Ceres, você confia em mim?
- Você me traiu?
- Não quer terminar comigo, quer?
Argh, tá me matando. Apesar de eu já ter minhas hipóteses e até conclusões, eu ainda tenho medo. E ansiedade. Aí eu como.
A única hora em que eu fico com a convicção em baixa, é quando o Sérgio aparece, pronto falei.
Eu superei só a parte da minha mãe não ficar gelada quando eu vejo ele, não sonho com ele à noite e nem fico pensando nele e olhando pro teto. Já é um grande avanço.
Sou eu, a garota dos 3: das três visitas de domingo, dos três banhos de sábado, dos três (x10) minutos no telefone com o Roberto, discutindo a relação e contando de vizinhas vacas e enxeridas que querem o número dele, e dos 3 meses que faltam pra parte dos meus problemas acabarem. Tipo a mochila roxa da sala J, do tesão do João, do enrolado, telepático (e lindo) do Sérgio; que aliás, gosta de me ver de blusa curta, e coisas das quais eu não preciso de me incomodar.
A lente verde da minha prima tá horrível, o que ela tá pensando?
Vou me esconder em Nárnia (vide foto) quando o desespero bater.
SÉRGIO, NÃO ESPANTE MINHA CONVICÇÃO.
ESPANTE MINHA ANSIEDADE (e minha fome), se você conseguir.
Preciso, necessito de ir pra Sete Lagoas. Lá agora é meu refúgio feliz, AMÉM.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "A lente verde da minha prima tá horrível, o que ela tá pensando?"
    oauouaeouaeououaeoueaoueuoauoaeuoeaououaeouaeouaeouuoaeuoaeuoaeuoeaououeauoaeueaueauoeauoueauoea ._.

    ResponderExcluir

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.