28/05/2010

Cabeludo Imaginário

Em falar em instabilidade... eu já disse que nunca quero me casar? E também que em hipótese alguma eu não terei filhos? Nem MEIO filho? 

Pois é... isso foi até outro dia. Hoje mesmo, enquanto eu estava com a bunda suada na cadeira do salão, com o secador quente na cabeça; a Flávia (a queimadora de couro cabeludo) falava toda orgulhosa da filhinha dela, que nem dois meses tem, a Melissa. E eu: "Nossa, não tenho filho antes dos trinta nem a pau." - esse povo tá pegando o boi, porque eu falava que não ia ter era nunca!
E ela: "Que isso, Celes (é, Celes). Eu também falava isso. Agora, olha eu e a Melissa."
"É, Flávia. Filho é bom, mas dura muito." (li isso no livro do Mário Prata hoje de manhã).

Enfim, o que eu quero dizer com tudo isso é que em relação à relacionamentos duradouros, vestidos, noivo, buffet (huum), e tudo mais, eu tenho pensado (muito) diferente.
Eu ainda não consigo me imaginar barriguda, com um neném com cara de joelho no colo, achando a coisa mais linda do mundo. Mas já consigo imaginar como seria meu vestido de noiva. Vai combinar muito bem com a tatuagem que eu pretendo fazer depois dos 18 e os meus (futuros) piercings. E acredita que eu também consigo idealizar um noivo? 

Tá, de qualquer maneira, casar é uma coisa muito definitiva. Vou deixar pra mudar de ideia sobre isso depois, nada de ficar enxendo (mais) a cabeça com isso agora. 
Quem sabe até, ter um namorado a longo (looooongo) prazo, tipo uns 7, 8, 9 anos de namoro, cabeludo, roqueiro, tatuado e que tenha uma voz bonita. Nós podíamos morar num apertamento (lê-se apartamento) no centro, todo bonitinho, e teremos um cachorro também. Teremos brigas diárias, só pra depois ficar falando "Desculpa, a culpa foi minha!" se abraçar e se amar no sofá da sala. Com o cachorro olhando, e morrendo de carência. (Tá, essa foi ridícula). 

Depois, se meus pais reclamarem por ausência de compromisso e presença de vagabundagem da nossa parte, poderíamos nos "casar": Cachorro em pé na sala, só pra ter testemunha, que por conicidência é a mesma sala que sempre faríamos as "pazes". Mas né, ninguém precisa saber disso. Eu de moletom e camisa de banda, ele de cueca samba canção. Sem padre. Nós engalobamos um texto pra ficar menos informal. Beijinho, beijinho. Pronto, estamos casados. Tomamos café. Pronto de novo, minha felicidade está completa.

Nossa, que emoção imaginar isso. Tá bom que na sala também poderia estar pai, mãe, sogro, sogra, amigos, agregados e tudo mais, mas como eu disse, é apertamento, não vai caber. E além do mais, só o cachorro ia ficar muito bom, eu acho. Ou não, sei lá. Só sei que eu e meu cabeludo imaginário não nos casaríamos formalmente. 

Ainda, meu cabeludo, não consigo imaginar nossos filhos. Mesmo porque, você ainda não tem um rosto definido. Mas mesmo assim, onde você estiver agora, com quem estiver e todas essas coisas, espero que nossos sonhos sejam compatíveis. Ou se não forem, espero também, que depois de uma discussão (e uma conclusão) tenha uma sala (e um cachorro) disponível. Também espero, com todas as minhas forças que você exista mesmo. 
Talvez eu até queira me casar. E quem sabe, me encher de filhos. É, mudei de ideia.

4 comentários:

  1. Nossa, ficou muuuuito bom! minha prima neh?!?! BIFANO tambem... orgulho... orgulho!! te amo prima ♥

    ResponderExcluir
  2. Porque você escreve tão bem assim ? Adoro sua modernidade em escrever.
    Sobre seu cabeludo, poxa, eu imaginava um moreno, de olhos verdes. E meu namorado é negro dos olhos castanho-claro. Como se faz quando isso acontece ?
    Eu queria um namorado que gostasse de futebol mais meu namorado é rockeiro e gosta de bandas antigas como guns N' roses e outros, e também quase n liga pra times.
    Isso é estranho, mas... gostei mais assim.
    Não quero envelhecer sozinha. Porém, quero só no maximo dois filhos, porque quero me dedicar ao maximo.

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua visão do futuro. Não sei mesmo qual é a de ter filho logo. Acho que quando se predetermina uma data pra rolar acaba rolando antes, e estragando tudo. E boa sorte com a procura do seu cabeludo, e que quando sua vontade de ter filhos chegue; deixe o bebe com cara de joelho pra lá e imagina um mini-cabeludinho fofo *-*
    Adorei seu texto, seu blog , sua escrita. Parabéns .
    E obrigado o comentário.
    Beijos e bom findê :*

    ResponderExcluir
  4. Confesso que fiquei muito impressionada com você querida. É o pensamento mais maduro que já lí. A maioria das garotas que eu converso e passam por algo assim dizem : Eu nunca mais vou amar, não acredito no amor.
    Eu também já fui iludida, mas eu não me arrependo. Seria de novo se eu quisesse. Isso desenvolve meu senso critico, me abre os olhos. Sim é ruim ser iludida. Mas é muito bom aprender com isso.
    Eu tenho uma inspiração pra escrever, porém, gosto de escrever sobre outras coisas também. Aliás, eu já disse que adoro o jeito que você escreve?
    vou te adicionar, em breve nos falamos, bjs :*

    ResponderExcluir

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.