16/05/2010

Ceres Sete-Lagoana

-Oi, quero te conhecer. - diz o cara, e pega na minha mão – Qual é o seu nome, morena?
- Ceres. (sim, eu sei que ele não entendeu.)
Ele chega perto, e me dá um beijo na bochecha. Sinceramente, eu não ia perguntar o nome dele, porque eu não fazia questão. E ele, se estivesse tão preocupado em saber meu nome, ele tinha perguntado de novo; porque não, ninguém NUNCA entende de primeira. Por isso que agora até eu mesma me denomino “morena”.
E então, ele me dá outro beijo na bochecha. E na outra. E na outra de novo.
Até que eu virei de costas e saí andando.

Puta merda, mas que saco.
Aquele era o nº 18, eu acho. O décimo oitavo garoto que mexia comigo na mesma festa, o décimo oitavo que eu não me interessara.

- Ceres, aquele ali, de camisa azul, ele quer fazer parceria.
Parceria ? Que diabos eu estou fazendo aqui, pelo amor de Deus!

E eu ia, andava, levantava um pouquinho a perna, por causa do salto, ria um pouquinho, e até me deu vontade de dançar. Forró, sertanejo.
Afinal de contas, eu precisava me enturmar.

- Não, Ingrid, não, sem essa de parceria, que isso.
Ingrid sái, e vai falar com o dito cujo, que deve ter sido o décimo, por aí.
- Ceres, ele te chamou de playboyzinha, que ele nem sabe o que você está fazendo aqui, maior metida. Feia pra caralho.

Pois é, Ceres. Playboyzinha. Playboyzinha.
Essa é nova. E eu sou tão feia que ele queria me beijar. Bom. Isso quer dizer que os garotos daqui (34, pra ser mais exata), preferem as morenas, metidas, feias e playboyzinhas.

- Que foi, Roberto?
- Cé, lembra aquela calça apertada que eu tinha?
- Lembro, Roberto.
- Então, eu vou na festa hoje com uma mais apertada que aquela. Você vai?
- Ah, não sei, se o Léo for...
- Tá bom, chama ele então pra vocês irem.
- Beleza, Roberto.

Bom, eu fui à festa por conta do Roberto. Por conta no sentido de ele ter me chamado. Ele me vigiou a festa inteira, pelo o que eu sei não ficou com nenhuma garota. Vai ver que é porque toda vez que ele ia conversar com uma, ele tinha que ficar vigiando pra ver se eu estava olhando, e morrendo de ciúmes. Coisa que eu não fiz.

Número 30, 31, 32...
- Não.
- Neeem, fala pro seu amigo que eu to muito ocupada coçando meu pé agora.
- Eu sou seu sonho, é? Então vá dormir!

Por que, cara, por quê?
Por que nenhum daqueles 34 garotos eram o que eu quero?
Por que toda vez eu tinha que contar até 10 e falar “Samuel, Samuel!” em voz alta ?
Por que eu me obrigo a ser tão idiota?
Por que que ser sete-lagoana é tão, mas tão difícil?

Só porque eu sempre fui apaixonada pelo Sérgio?
Só porque eu estou ficando com o Samuel?
Só porque agora eu moro em Sete Lagoas?

É tão difícil entender que isso tudo não é culpa minha?
Então porque que a pior parte fica pra mim?
De que adiantava 34 se eu só quero um?

Não, eu ainda não consegui trocar de pizza preferida.

Sou uma garota sete-lagoana e frustrada.
Sou uma morena dos sonhos do nº 26.
Sou uma apreciadora de pizzas belo-horizontinas.
Sou uma idiota.

É difícil esconder desespero, desculpa.

15 comentários:

  1. Ceres, é diferente gostei!Seguindo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Seu nome é Ceres mesmo? Que diferente, assim como o meu! Adorei! Hehe

    Beijobeijo :* Amo seu blog :) Muito fera :)

    ResponderExcluir
  3. Ah, eu gostei do seu nome, é bem exclusivo lol

    34 hein? ok,se você gosta de só um, não faz diferença mesmo.
    Enfim, obrigada pela visita, e boa sorte com tudo (:

    ResponderExcluir
  4. Nossa, 34 garotos! Meio louco esse seu texto.
    Ceres é um nome legal, e pelo que parece você também é.

    ResponderExcluir
  5. Às vezes nós temos tanto e o que mais queriamos, que é tão pouco, não podemos ter. Vivemos então em felicidade falsa. É legal o teu nome, diferente.

    ResponderExcluir
  6. Meu nome também é diferente, odiava, mas agora, acho bom. Sempre tem um besta que fala : ah toda Nathalia é puta, toda joana é falsa, toda fulaninha é besta, toda mariana é linda. Ninguém nunca fala nada do meu nome. É feio, e eu não gosto dele. Mas acho bom ser diferente, geralmente pessoas com nomes diferentes sempre, sempre tem o que contar.
    Adorei o jeito que você fala das coisas.

    "Sou uma garota sete-lagoana e frustrada.
    Sou uma morena dos sonhos do nº 26.
    Sou uma apreciadora de pizzas belo-horizontinas."
    É divertido, mas a maioria dos garotos, os mais frustrados, procuram isso... afinal que graça tem sair pra beijar alguém que você nunca viu na sua vida ?
    Coisas que todos compreendem, menos eu.
    Coisas que todos fazem, menos eu!
    Nomes que todo mundo tem, menos eu!
    haha.

    ResponderExcluir
  7. Que nome exótico.
    Seus pais eram hipies ou algo assim? Sabe o significado dele? Adirei seu nome e sue blog, de verdade mesmo. Estou te seguindo querida!

    ResponderExcluir
  8. ceres, juro pela eternidade que eu não queria, mas eu ri muito do seu post, principalmente o fim IASUHASUIH como eu já te conheço bem, eu até imagino você escrevendo esse final kkk, cerezilda, cerezilda, esse sérgio tem que sair da sua cabeça, já; mas já acho que você tá fazendo um ótimo trabalho viu ? beijinhos.

    ResponderExcluir
  9. ah , e estou entrando em desespero por não ter seguidores no mue blog D: vou mudar toda o template só pra conseguir ter seguidores D:

    ResponderExcluir
  10. dona ceres seduzindo com vigor -K
    enquanto eu aqui em BH, continuo sem ninguém, também por falta de opção .. você ai dispençando 34 ! manda uns por sedex pra cá que eu te mando umas pizzas ok ?! haha s2

    ResponderExcluir
  11. Eu tô na mesma que você ? Porque todo mundo resolve querer a gente quando a gente só quer uma pessoa, aquela pessoa ... é tenso :*
    Ceres, eu pensava que era apelido, mas é nome mesmo, que legal ((((((((:
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Todo mundo me chama de Mona, Mona mour ( mon = meu amour = amor, em francês). Tem gente que acha que Mona é meu primeiro nome KKKKKKKK
    Mas já me acustumei com meu nome.

    ResponderExcluir
  13. feia, tem selos pra você no meu blog ! Vai lá pegar ok, beijos ;*

    ResponderExcluir

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.