30/11/2010

[Quando ele ler, dá um título]

Eu suspirava. Cantava qualquer música capaz de não me distrair. Curtia aquela coisa que ele tem de levar meus olhos involuntariamente para a sua boca, suas mãos que sempre mexem nos meus cabelos. Fecho os olhos pra ouvir sua voz com mais atenção. Ele consegue fazer com que minha frequência cardíaca aumente consideravelmente com um unico beijo.
Posso dizer uma verdade?
Ele é perfeito.
Parece fantasia, filme de "Sessão da Tarde", e como diria a Michele, propaganda de margarina.
Parece qualquer coisa que eu sonhara pouco vagamente o tempo todo.
Parece um objetivo de vida alcançado, felicidade completa, sensação de não precisar de mais nada.
Juro, até agora, me distraí.
Ainda penso nele como eu pensava enquanto esperava nosso primeiro beijo.
Ainda penso nele como se fosse a primeira vez que ele me disse "Eu te amo".
Ainda penso nele da mesma forma do que dia vinte e três de novembro, a uma e cinquenta e oito da manhã, pra dizer que, melhor do que isso, me ama absolutamente.
Ainda consigo escrever qualquer tipo de texto falando de você de forma concreta, tudo bem?
Não terminou do jeito que eu almejava, mas ah, você tá aqui no sofá, do meu lado, virado pra TV para não ver o que eu estou digitando.
Ai ai.
Te amo, Matheus. Absolutamente.

3 comentários:

  1. Que lindo, o blog inteiro.
    É claro que eu vou te seguir, não tem como não seguir um blog tão maravilhoso!
    Parabeeeeens e sucesso, agora vou estar sempre aqui hihi. *-*

    ResponderExcluir
  2. AAAAAAAAAAAH Cé, que saudades de você! Blog Lindo claro (:
    beijos Bru

    ResponderExcluir
  3. Ah que texto lindo.
    E seu blog tá de parabéns. vou até seguir *-*

    ResponderExcluir

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.