30/04/2012

Sete Lagoas


























Morei até meus 15 anos, mais ou menos, em Belo Horizonte. No final de 2009, eu e a minha família nos mudamos para Sete Lagoas. 

No início foi muito complicado: não conhecia ninguém, não sabia andar na cidade, e me sentia muito sozinha. (A primeira vez que eu fui pro correio peguei o ônibus pro lado errado!)

De fato, as meninas que moram aqui da minha rua não têm a mesma cabeça que eu. Isso me incomodava muito. Quando morava em BH eu tinha muitas amigas no bairro, nós ficávamos muito juntas; mas depois que eu me mudei perdi contato com todas. Via as fotos no facebook e me sentia triste por não poder estar nelas também. E o pior: o tempo foi passando, e eu nem tinha mais assunto com elas.

Em fevereiro de 2010, no meu primeiro dia de aula no primeiro ano, depois de muito tempo, eu estava em uma escola que eu não conhecia ninguém. As pessoas foram bem legais, e eu comecei a me sentir em casa. (Lembro quem foi a primeira pessoa que conversou comigo. Começou com um sonoro "Oi! Qual é o seu nome?" e eu dizia "Ceres!" e ela "Que?" e eu "Ceres!" e de novo ela não entendia, até que eu disse "Lê na lista que tá na porta!") Descobri também que uma menina que mora no meu bairro, e até hoje somos muito amigas. Inclusive, ela também tinha se mudado de BH para cá.

No meio do ano conheci o Matheus, e em outubro, já estávamos namorando.
Com o tempo (e com a ajuda dele, claro) as coisas foram chegando no lugar, e eu enxerguei, de fato, que eu estou onde deveria estar. 

Hoje em dia vejo que construí amizades maravilhosas, e as que eu deixei ainda estão na memória, mas de forma menos dolorida. Olho para a cidade, e sinto como a vida aqui é melhor. 

As pessoas daqui têm o costume de reclamar do trânsito, do transporte, e eu acho tudo uma delícia. Aqui nós conseguimos atravessar a rua na metade do tempo que levaria em BH, tem uma lagoa linda a 20 minutos de casa, tem o melhor sorvete do mundo (fabricado aqui mesmo), a comida daqui também é deliciosa (principalmente as empadas, o hambúrguer assado e as pizzas), ficamos na rua até tarde, mais da metade dos setelagoanos andam de bicicleta, e sempre tem show legal por aqui. Por exemplo, sexta (27) teve show do Nando Reis, e 18 de maio, eu acho vai ter do Roupa Nova, só pra início de conversa. Tem um concurso de beleza, o Miss Férias, que sempre tem uma menina da sua escola que participa. Também tem Exposete todo ano, o Ferro Velho, o Opinião Pub e o Route 66 para os mais cult...
Tem dois anos que abriu shopping aqui, acredita?

Não sei se todo mundo concorda comigo, mas ver Sete Lagoas crescer é uma delícia; e eu não quero sair daqui tão cedo - excluindo o fato de que eu vou tentar Federal final desse ano.

A "Cidade dos Sete Lagos Encantados", a "Cidade Nascida Para o Alto", me encantou; e se caso você quiser me visitar, eu ficaria bem feliz.

(Vista da varanda)

(Ano Novo na Lagoa Paulino, choveu muito)
(O tal melhor sorvete do mundo)
Enfim, se você não quiser vir por minha causa, ainda tem o voo livre e o Parque da Cascata na Serra de Santa Helena, a Gruta Rei do Mato (que todo mundo vai de excursão), o Boa Vista (a lagoa bonita da primeira foto)...

Tudo para você ficar convicto de que aqui é muito mais que a terra da Paula Fernandes (que na verdade, nasceu em Santana de Pirapama, mas vamos deixar isso para depois).




6 comentários:

  1. Nossa! Deu até vontade de ir para Sete Lagoas! Blog liiindo com sempre! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Venha sim! hahha Obrigada linda, volte sempre!
      Beijos

      Excluir
  2. Ceres,

    Meu nome é Quin Drummond e sou fotógrafo. Não nasci aqui em Sete Lagoas, meu pai, já falecido, sim. E também alguns dos meus treze irmãos. A minha postagem é prá te dizer o quanto achei maravilhoso o seu depoimento. Em época que a pressa e o mediatismo valem muito mais do que "ver" "perceber" "sentir". Em época, que uma enxurrada de palavras(?) inúteis são despejadas na internet através das redes sociais, encontro dizeres simples descrevendo você e a cidade em que mora. Pena é que muita gente nossa já acostumou o "olhar" para as coisas boas da terra. Nós fotógrafos aprendemos sempre fechar os olhos por alguns segundos para que a beleza apreciada todos os dias não se torne uma paisagem insossa e sem brilho. Valeu minha cara.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Quin!
      Fico muito feliz com o seu comentário.

      Excluir
  3. PIRAPAMA NÃO, POVOADO QUE SE CHAMA SANTA BÁRBARA, NA ROÇA MESMO.

    ResponderExcluir

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.