25/06/2012

Apaixone-se por Arthur Rimbaud

Algumas semanas atrás, eu estava viajando por um dos meus blogs de literatura preferidos e de repente encontrei um post falando sobre jovens brilhantes escritores ao longo da História. Obviamente, eu cliquei no link e a partir daí sucedeu-se vários dias nos quais eu estive maníaco por um escritor, ou melhor, poeta em especial: Arthur Rimbaud. Decidi então, finalmente, criar um post aqui falando um pouco do que eu descobri nesse meio-tempo sobre esse maravilhoso poeta do final do século XIX.

(Rimbaud aos 17 (?) anos)

O que fez com que eu viciasse no Rimbaud? Para ser sincero, como toda lenda do mundo literário, o que despertou meu interesse por ele foi mais sua vida pessoal. Mas o que tinha a vida do Rimbaud de tão especial? Bom, começando pelo fato que ele fez enorme sucesso na França antes mesmo dos vinte anos (sim, ANTES DOS VINTE ANOS! Vocês têm noção do que é um escritor ser renomado antes dos vinte?), ganhou fama de rebelde e então abandonou seu sonho para viver suas próprias aventuras e desventuras, digamos assim.
            
Comecemos do princípio: Arthur Rimbaud nasceu em outubro de 1854 em uma fazenda em Charleville, na França. Era o melhor aluno de seu colégio voltado para a alta burguesia, dizendo que quando crescesse se tornaria explorador. Em 1870 fugiu para a Bélgica mas foi barrado e preso, sendo salvo pelo seu professor da época, que o mandou de volta a Charleville. Rimbaud então fugiu de novo e de novo é mandado para casa, desta vez com sua mãe tendo enviado uma intimação judicial ao professor. Deixou o cabelo crescer e acabou sendo ridicularizado pelos outros garotos da época.

(Paul Verlaine)

Rimbaud fez então amizade com um alquimista, Auguste Bretagne, que enviou seus escritos ao poeta Paul Verlaine, famoso nos meios cult da época e amigo de Bretagne. Verlaine decide então receber Rimbaud em sua casa, em Paris, e começa aí toda uma emocionante história que chegou inclusive a ser um filme estrelado por Leonardo DiCaprio em 1995, chamado Total Eclipse (ou, em português, "Eclipse de uma paixão", que acho um título mega piegas) que eu recomendo mil vezes (você pode assisti-lo completo no Youtube por aqui, se lhe interessar).

(Leonardo DiCaprio interpretando Rimbaud em Total Eclipse)

Pois bem, a partir daqui vou fazer um resumo bem menos detalhado da história da vida dele porque as coisas ficam um pouco menos lineares e, principalmente, estraga boa parte da surpresa de quem for se dar ao trabalho de assistir o filme acima. Mas como eu dizia, estamos em 1871, quando o casado Paul Verlaine se apaixona por Rimbaud e passa a agredir sua jovem esposa. Havia nessa época uma reunião de poetas parnasianos que, na primeira vez em que Rimbaud se encontrou com eles, logo ficaram impressionados com o garoto; entretanto, na segunda reunião, Rimbaud começa a interromper um dos outros artistas que apresentava um novo poema, ridicularizando-o e dizendo coisas como "que merda". Acabou sendo expulso do grupo (os Vilões-Gentis-Homens (?)) e também do Círculo de Zutique (outra reunião de artistas, dessa vez num hotel com absinto, haxixe, bagunça e bebidas à vontade) por seu "inconveniente senso de humor".

(Reunião dos poetas, Verlaine e Rimbaud à esquerda)

Verlaine e Rimbaud então largam tudo e começam a viver uma vida miserável em Londres, em 1872. Rimbaud inconveniente e ácido, Verlaine abusando de bebidas alcoólicas: brigas e discussões se tornam cada vez mais frequentes. Por fim, Verlaine compra uma arma e após discutir com o outro, lhe dá dois tiros no pulso. É preso por dois anos, quando então se torna "clemente a Deus". Enquanto isso, Rimbaud escrevia "Uma tempestade no inferno", sua única obra lançada por si próprio (e aliás, última obra, sendo de 1873). Verlaine é solto e os dois ainda voltam a se encontrar, mas o ex detento, ao tentar fazer o jovem se converter religiosamente, acaba irritando este.

(uma das fotos de Rimbaud na África, anos após abandonar sua carreira de escritor)

A partir de então há poucos registros de notável veracidade sobre Rimbaud, mas o que se sabe é que ele se meteu em uma série de viagens na África, onde se torna comerciante e até mesmo traficante. Enquanto isso, Verlaine publicava as obras que Rimbaud havia escrito e nunca lançado. O poeta, agora explorador, tem um câncer no joelho e acaba amputando a perna após voltar para a França. Foi cuidado pela sua irmã Isabelle até morrer em 1891, aos 37 anos.

(Túmulo de Rimbaud)

Enfim, espero que tenham gostado dessa minha primeira crônica no blog. Fiz o possível para ser o menos maçante possível apesar de ser uma biografia (bem sintética) e tratar de datas e tudo o mais. Pelo menos apresentei a vocês um maravilhoso poeta que eu recomendo a vocês procurarem sobre ele, e apresentei um pouco melhor dos meus gostos também. Voltarei semana que vem com o primeiro de uma série de posts que passei vários dias preparando para vocês, explicando um pouco sobre os jovens de cada década (a partir dos anos 50) e o que eles têm a ver conosco. Até a próxima (:

Um comentário:

  1. É inegável que os poemas traduzidos para o português acabam perdendo algo... Mas mesmo assim dá pra gente se espantar com a maturidade de Rimbaud, ao escrevê-los ainda tão jovem. Parabéns pelo resumo.

    ResponderExcluir

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.