29/05/2013

Coisa de criança


Se tem uma coisa legal que eu fiz depois dos 18 foi escrever na parede do meu quarto. Só tem essa ênfase toda porque é o tipo de coisa que seus pais não te deixaram fazer a sua infância toda, e por isso acaba soando como rito de passagem, sabe?

Escolhi essa frase porque ultimamente ela tem sido um mantra: Apenas respire. Fez ainda mais sentido depois que escrevi porque meus irmãos quase me mataram - já contei que divido quarto com eles desde sempre? Já, né. - e eu tive que parar para respirar. Escrevi bem encima da cama que fica encostada na parece e de frente para a porta; num lugar que eu vá olhar sempre (na verdade a Rubia escreveu, porque minha letra não fica boa grande).

Me lembro de ficar olhando as fotos da Ana (que é minha amiga a anos e nossa colaboradora) e ficar apaixonada pelo o que ela escrevia nas paredes do quarto dela... Então como só me rendeu essa foto minha até agora, recorri a ela para ilustrar o post. Além delas eu também separei umas no we♥it e no pinterest.







E aí? Já escreveu na sua parede?
É uma forma linda e fácil de deixar o ambiente que quiser com a sua cara. E claro, fazer aquilo que a mamãe nunca deixou.

28/05/2013

Obrigada


Me sentei no meio fio abraçando as pernas, pelo frio. Era início de noite e eu estava na rua sozinha. Ficava olhando o movimento, e cada ônibus que vai para o seu bairro que eu deixei passar foi uma oportunidade a menos de ver você.

Às vezes olhava o celular e lia suas mensagens velhas... O que tenho para fazer além de suspirar? Passava o dedo polegar na tela e olhava uma por uma, tentando sentir algo. E nada. Curti tudo aquilo, devagarinho, em silêncio. Deixei o meu ego crescer escorrendo sorriso afora. É que definitivamente meu coração está em outro lugar.

Toda essa ironia de você me ligar e me dizer tudo o que eu sempre quis ouvir por pouco não me deixa maluca; mas de longe vai me fazer mudar de ideia. Obrigada, mas estou bem sem você. Obrigada, mas já não estava feliz. Obrigada, mas não.

Me levantei consertando a roupa que demorei meia hora para escolher, mas que me deixava confortável. Sabe, aquela que caso eu perguntasse você diria que me deixa "cheinha". Entrei no ônibus e fui para casa - a minha. Mal sei onde e como estão meus sentimentos, mas eu tenho a mim. Deitei na minha cama, dormi o meu sono e amei o meu amor por eu mesma. Acordei e já pensava em como seria ter outro alguém. Meu coração estava lá, comigo. Debaixo do travesseiro para me ajudar a sonhar, não no seu peito nu em dia de chuva.

Sei de tudo o que sente, e tudo o que tem para mim, mas não. Obrigada. Já sou suficiente.

27/05/2013

Natural


Depois de alguns bons meses passei na roleta para pegar o metrô. Carregava minha mochila velha nas costas, e o moletom amarrado na cintura. Entrei no quarto vagão, me sentei perto uma uma moça com um bebê no colo e desci duas estações depois. 

Fui andando plataforma afora, e relembrando as inúmeras vezes que estive ali, durante toda a minha vida. Com as pernas meio pesadas da viagem que fiz das cidade dos lagos encantados até ali, subi as escadas para me deparar com você do outro lado das roletas. 

Primeiro fiquei parada por alguns (longos) segundos, bem na beira escada, examinando para ver ser era isso mesmo que acontecia. Você estava com a mesma cara e os mesmos trejeitos de três, quatro anos atrás, todo concentrado olhando para o lado esquerdo. As pessoas saiam da plataforma e vinham me contornando, já que estava no caminho. 

Consertei o cabelo, vesti o moletom - nessa época sempre faz frio na estação, né. Passei na roleta da extrema direita, para você não me ver logo de cara. Já estava acostumada com sua rotineira distração, que parece não ter mudado uma vírgula. 

Quando estava bem perto e já ia pegar no seu braço de supetão você virou e quem se assustou fui eu. Cobri parte do meu rosto com a mão direita, como faço quando fico sem graça. Coloquei minha franja atrás da orelha e quando dei por mim sumi no seu abraço. 

Ficamos um tempo abraçados, e eu estava surpresa por depois de tanto tempo, me sentir tão bem daquela forma. Não precisamos de muita cerimônia, mesmo com mais de três anos sem nos vermos, e de longe foi difícil para que nós nos beijássemos. Você como sempre, lendo as minhas entrelinhas e o silêncio era mais que suficiente.

Mesmo com dificuldade parei para pensar e foi aí que eu lembrei que isso é natural de nós dois... sempre vai ser. E pela primeira vez, depois de muito tempo não precisei de lutar contra aquilo tudo. 

Playlists para o seu humor!

Já pensou em um site que teria uma playlist infinita para o seu sentimento do dia ? Não?
Mas sim, ele existe é o Superplayer.
Nesse site você encontra rádios e listas acordo com o gêneros, humores e até atividades como ''curando ressaca'' !
Dá uma olhada :


O mais legal é que você acaba conhecendo muuuuitas músicas, e acaba sendo difícil de enjoar, com tantos tipos diferentes de playlist!



Vai dizer que você não curtiu ? Eu amei assim que conheci, conheça o site e vem aqui contar pra gente o que achou da dica!


26/05/2013

Ego

Eles estavam ali, me olhando do outro lado do vidro. E eu olhava para eles. Estavam todos ali: todas as pessoas, todos os nomes, tudo. Eles interagiam entre si e, ao mesmo tempo, pareciam querer apenas chamar minha atenção, me impressionar. Não demonstrei um pingo de emoção, não cedi à influência. Mantive meu rosto impassível e frio através do reflexo daquela fria multidão. Multidão tal que um dia fora eu.

Entrelacei meus dedos ao dele com força e lhe lancei um olhar significativo. Meu ego; meu eu. Apenas ele entenderia aquilo e a importância que tinha para mim. Ele me deu um sorriso firme, um sorriso de apoio, e voltou seus olhos à multidão e, depois, a mim novamente. Estava se comunicando, simplesmente se expressando comigo.

Por alguma razão, não me assustei. Não me parecia algo muito difícil de entender. Os olhos dele diziam o que o silêncio da minha boca não conseguia e, sendo ele eu, eu pude compreender perfeitamente. Não posso dizer o que aqueles olhos diziam e suponho que não vá ser relevante a ninguém que se preze. Era apenas mais um segredo: de mim para eu próprio. Era o NOSSO segredo.

Juntos, olhamos para eles novamente. Pareciam bem menos assustadores agora que eu havia me encontrado, ou melhor, encontrado uma solução para mim. Meus fantasmas não poderiam fazer mal a mim se eu não permitisse. E eu não voltaria a permitir. Aqueles dedos frios não voltariam a me tocar e eu estava seguro disso. Eles estavam todos trancados, juntos e se aniquilando. Estavam todos presos em uma caixa mal-iluminada, sem poderem ir para frente ou para trás. Passado não sai lá de trás, passado é apenas um fantasma que irá te assombrar vez ou outra, mas apenas se você permitir.

Meu presente era aquele grosso vidro com blindagem e eu... eu estava no outro vão daquela sala branca, o vão iluminado. Eu estava livre, tinha encontrado a minha própria companhia e, o fim daquele vão da sala, devo dizer que eu não conseguia enxergar. Até hoje não consigo enxergá-lo, e isso é bom. Apenas mais um mistério para saborear a vida. Vida essa que eu agora poderia aproveitar como e onde quisesse, no vão da sala representante do futuro. Tudo o que eu via dali era o brilho do céu, o brilho do sol nos meus próprios olhos. Eu estava, finalmente, livre.


22/05/2013

Tatuagem


Sei que só penso nos seus olhos de noite serena me olhando
e cobrando um sorriso.
No que você disse sobre me esperar sem saber.
Nas suas mãos incrivelmente macias.
No seu perfume que até então não conhecia.

Quando me permito, sinto seu cheiro no ar.
Você me beija e me abraça sem ao menos estar aqui.
Quando está escuro, imagino sua nuca perto do meu nariz.
E eu te abraçando por cima do seu dragão, ficando feito tatuagem.

Quando estou sozinha,
fico olhando meu celular, esperando você me ligar.
Lembrando de você dizer que se encantou por mim
- e pelo meu corpo, que nem imaginava ser tão bonito assim.

Por sua causa, me apaixonei por mim, finalmente.
Me olho no espelho e acredito piamente em tudo que você me disse.

Prendo meu cabelo no alto,
porque é assim que as mulheres fazem para se movimentarem.
Para fazer coisas que não fariam comumente.
E queria que você me visse assim, como eu sou.

E sabe-se lá o que aconteceu.
Que agora me debulho em lágrimas abraçada num livro de capa azul.
E meu sangue escorre peito afora, doendo por voltar ao ocidente.
Reunindo todas as forças e princípios possíveis para continuar sã.

Apenas pensando nos seus olhos de noite serena me olhando... e me cobrando um sorriso.
E eu peço: Vem! Se tatua em mim...

21/05/2013

Proibido Retorno



Se é pra ir que vá. E se for não volte. 
E se não voltou nem pense em dizer que
Não estou presente, que sumi.


Se é pra ir que vá. E se for não volte. 
Nem em um momento de carência.
Até porque você foi o motivo de todos os meus.


Se é pra ir que vá. E se for, por favor, não volte.
O sentimento há de morrer em mim, 
Assim é necessário a distância de você.


Se é pra ir que vá. E se for, não volte. 
Porque ao longe está você,
E aqui sua sombra está. 

20/05/2013

Bom Dia!

Nós deitamos, eu me aconchego no seu peito e logo penso: "Deus, que sorte eu tenho!".
Você me abraça. Eu fecho os olhos, sinto o seu perfume, do qual você não me diz o nome, e é nessa hora que o tempo para e começa uma contagem nova, um relógio só nosso, onde nossa preguiça determina os horários.
Você segura minha mão, me beija, me abraça mais forte e são esses gestos que me fazem sentir mais amada. Fico tão protegida e aquecida. Determino então, que os seus braços são o meu lugar e é ali que eu sempre quero estar.

E acordar e te olhar dormir, poderia parecer loucura, mas é lindo ver teus olhos fechados, te escutar roncar. Ali no seu sossego, te declaro meu. Puro egoísmo! Mas algo tão intimo não poderia ser dividido com mais ninguém. 
Você me abraça por trás, me da um beijo no pescoço pra me lembrar que esta ali. E é nesse momento que sou toda e somente sua. Me viro pra você e vejo teus olhos verde-acastanhados meio abertos, por desejo nos beijamos e nos perdemos em meio aos lençóis.
Os sons, o gosto, a musica, as risadas... tudo faz parte do principio do nosso dia. E para sentir isso tudo, eu poderia dormir e acordar ao seu lado sempre.


‘’Essa Moda Pega? Creepers’’



Olá, sabemos que o nosso queridinho SNEAKER  pegou! Muito versátil, usável  e confortavel, combina com TUDO!! Da padaria á balada, ele cai bem em praticamente todas as ocasiões.


Essa moda ja pegou! Agora a nova tendência são os modelos CREEPERS, será que essa moda pega? vamos lá!!

Esse modelo surgiu um pouco depois da Segunda guerra mundial, la por volta de 1945, com o nome de BROTHEL-CREEPERS, Com os saltos largos de borracha, era completamente firme para os ex soldados.


 Não demorou muito para essa peça virar característica de alguns estilos. La por volta dos anos 50 os Teddy Boys aderiram  essa peça, aliada com calças justas, peças de veludo, jaquetas... os CREEPERS continuaram brilhando durante os anos 60 a 90.


Cá em 2012 o modelo CREEPERS foi lembrado e veio com tudo em 2013, estava presente no desfile da Chanel, em uns tons pasteis, dourado e preto , mas sempre com o salto branco.



Gostou? separei alguns looks com CREEPERS para vocês abusarem! Mas lembrem-se essa peça requer ousadia para usa-la, se você e mais básica nem tente, pois esse modelo e um tanto ‘exotico’ .
  
Com saia ou vestido.



Com leggings



Com shorts



E ai, essa moda pega????

Drama: Ano de Vestibular


Vestibular, esta é a palavra que irá traduzir o meu ano de 2013.
É pior que qualquer filme de terror, e não vem aterrorizar sozinha, vem acompanhada de seus simpáticos amigos:

ENEM

Simulados

Cursinho pré-vestibular 

Faltam x dias (no meu caso 163)

Pressão (level hard)

Esse é o meu primeiro ― espero que seja o último― ano de vestibular. E nunca me senti tão dependente de mim mesma. É o ano que unicamente dependerá do seus esforço, da sua vontade de passar, da maneira que você estuda, do tempo que você dedica. Você é o único responsável por sua entrada na universidade.

A fase mais clichê e verdadeira: Só quem passou por isso sabe.
Para aqueles que saíam todo final de semana (assim como eu), vão sentir falta dos amigos, das baladas, do álcool. A não ser as notícias que podem cair no ENEM (são as únicas que você vai saber), é quase impossível saber o que acontece na vida do seu amigo, do vizinho, até o que aconteceu na novela que todo mundo sabe, ás vezes você desconhece.

Cada dia que passa fica mais próximo, e você tem a impressão de que está estudando pouco,  que a dedicação não é suficiente. Para aterrorizar um pouco mais vem as dúvidas:
Eu vou passar? E se eu não passar? Essa matéria cai na prova?

Para piorar, não sei se acontece com muitos, mas eu ainda não me decidi qual curso fazer! E não é tão simples como muitos falam. Até porque se fosse fácil, não teria mudado de escolha sete vezes. Sim sete vezes. Apelei e vou procurar ajuda psicólogica,que é o recomendado, e é minha última esperança.

Enfim, assim está sendo o meu 2013, e se como eu, você está no mesmo labirinto que só termina no dia 26 de outubro, desejo-lhe sorte. E se prepare, que em 2015 (ou qualquer outro ano que não seja 2014), nossos atuais concorrentes serão nossos calouros !

19/05/2013

Playlist de Domingo


Minha vida por agora está num alvoroço só, e quase não escuto músicas novas, só aquelas que tenho no celular que escuto quando dá. Fazia tempo que não escutava a playlist que tinha feito, ouvi ela essa semana e foi puro amor! Vem ouvir comigo ?



 

 

 

 

França nas telas! Dica 2em1: "O homem que ri" e "Depois de maio"

Demorei (muito) mas finalmente consegui tempo o suficiente para elaborar esse post com a dica de dois filmes maravilhosos que assisti no início desse mês e que eu espero que vocês curtam também. Bora lá?



O Homem que ri

No início do mês (de 1 a 16 de maio) várias cidades do Brasil receberam o Festival Varilux de Cinema Francês, que trouxe, entre as datas citadas, alguns filmes fascinantes produzidos na França e que, por alguma razão, ainda não tinham sido lançados aqui no país -- já que infelizmente pouquíssimos filmes franceses chegam às telonas daqui e, mesmo quando chegam, são apenas em algumas (ótimas) salas de cinema. Eu que o diga, viu.


Enfim, fui com uma amiga minha assistir uma das sessões do festival, o filme "O homem que ri", dirigido por Jean-Pierre Améris e estrelado por Marc-André Grondin, Christa Theret e ninguém menos que Gérard Depardieu. Baseado na obra (que infelizmente não li) de Victor Hugo, "O homem que ri" conta a história de Gwynplaine, um garoto que é abandonado com uma cicatriz "medonha" no rosto a parecer um riso. Gwynplaine encontra Dea, uma garota cega, em plena neve e ambos são acolhidos pelo Grande Ursus. Nesse clima familiar eles crescem e começam a fazer espetáculos para poderem se sustentar, viajando de vilarejo em vilarejo até finalmente chegarem à cidade. E obviamente aí é que começam as complicações, com o personagem principal sofrendo um enorme conflito interno e uma grande reviravolta em sua vida.



O filme é meio simples, mas fabuloso. O diretor inclusive disse que se inspirou em filmes como os do Tim Burton para fazê-lo. ALIÁS, pra melhorar, ao término da sessão o diretor e a atriz Christa Theret entraram na sala de cinema e ficaram uns quinze minutos respondendo perguntas do público (obviamente havia uma tradutora acompanhando-os). Eu sabia que em determinadas sessões do festival haveriam esses "encontros" mas fui assistir o filme completamente crente de que na sessão que eu estaria isso não ocorreria -- e sabem quanto eu paguei no ingresso? Doze reais (meia entrada, claro)! Acho que essa foi uma das vezes em que mais compensou minha ida ao cinema, viu.


Meus parabéns aos organizadores do Festival Varillux e do Cine Livraria Cultura!



Depois de maio

O outro filme sobre o qual eu gostaria de falar é "Depois de maio", também francês, não participante do festival e que acredito que ainda esteja em cartaz. Eu simplesmente me apaixonei por esse filme porque ele tem algumas coisas em comum com o meu preferido, "Os sonhadores", que também é do mesmíssimo país já tanto citado.




Para quem não sabe, em maio de 1968 a França sofreu uma greve geral de universidades, escolas, estudantes, trabalhadores, etc. O país virou uma bagunça. E assim como "Os sonhadores", "Depois de maio" faz uso dessa temática -- só que enquanto o primeiro se passa unicamente ao longo do mês de maio, o segundo relata o depois, com aquela estética intimista maravilhosa que o cinema francês costuma ter.


Sendo assim, a história se passa no início dos anos 70, quando os jovens que tanto protestaram em 68 começam a ter de seguir seus próprios caminhos na vida. Começa então aquele conflito ideológico: enquanto alguns querem prosseguir lutando politicamente, para outros isso já não é a coisa mais importante em seu âmago individual -- como é o caso de Gilles, o protagonista, que quer ser pintor. Outros personagens aspiram por exemplo um grande amor ou simplesmente viver o momento. Em se tratando de jovens revolucionários do período dos anos 60-70, é claro que o filme contém algumas cenas com festas psicodélicas e nudismo. Apesar de seu tom meio superficial, é um filme, a meu ver, muito inspirador. Eu adorei e, para quem tiver se interessado, abaixo está o trailer. Recomendo <3

18/05/2013

Sobre seios


Angelina Jolie tirou os seios para se prevenir no câncer. "Não me sinto menos mulher por isso", ela disse. Tudo bem... mas e se fosse você? E se fosse eu? Qual a importância do tamanho do seu seio? Qual a importância de se ter seio? - Muita, para mim.

Bom, eu tenho em mente que todos os nossos problemas são opção nossa. Quero dizer, algo só vai te incomodar se você quiser. E em relação aos seus seios é a mesma coisa. Nunca fui das mais peitudas, mas sempre pensava "ainda dá tempo de crescer, ainda dá tempo de crescer". Foi aí que a minha opção passou para: me incomodem, seios. 

No dia do meu aniversário de 18 anos fui ao ginecologista. Havia feito uns exames e fui levar o resultado. O médico leu, releu aquelas fotos estranhas do meu útero e disse: "Tá tudo bem com você, não se preocupe." Levantei da cadeira para ir embora, mas acabei me sentando de novo. 

- Tira uma dúvida minha?
- Claro, ele disse.
- Meus seios vão crescer? Faço 18 anos hoje.
- Olha, a não ser que você engorde e tenha muita retenção de líquidos, não. Já deu tempo do seu corpo se formar totalmente. Ah, e parabéns.

Agradeci e sai com uma decisão: "Colocarei silicone na primeira oportunidade que tiver, afinal, sou fadada a ser despeitada." Comuniquei a minha família, meus amigos, e estava convicta de que juntaria dinheiro o suficiente para fazer isso. Na maior seriedade, como se estivesse falando que me tornara doadora de órgãos.

Até que realmente parei para pensar: seios pequenos têm as suas vantagens. E dá pra listar.

1- Posso usar decote e/ou transparência sem ficar vulgar. Pelo menos não tão na cara.
2- Correr na praia de biquini, tranquilamente, não é um problema.
3- Pular numa cama elástica sem sentir incomodo algum.
4- Usar todas as peças tomara que caia que eu quiser, confortavelmente.
5- Não ter dor nas costas por excesso de peso.
6- Faz parecer que somos mais jovens. (tenho 18, mas pareço ter 15)
7- Além de que eu sou assim, né. Seria hipocrisia minha falar pra todo mundo que não existe acaso e que as coisas são do jeito que são porque têm que ser e negar meus seios pequenos.

Tá, consegui pensar em sete coisas, só que foi mais do que suficiente para mim. Sozinha me argumentei e me  convenci de que devo ficar assim, simplesmente porque só tenho um motivo para querer ter seios grandes: "É bonito." Tudo bem, é lindo, todo mundo olha, todo mundo gosta, mas todos nós temos o que é nosso. Todos nós temos nossas peculiaridades. 

Não estou pregando que ter seio pequeno é bonito, não é isso. Só estou falando que é bonito se aceitar, enxergar o que você tem de melhor. O negócio é acreditar nisso primeiro. E o resto, vem fácil.

Ah, e Jolie: você é foda.

A saga da camisa jeans #2


Bom, a segunda parte da saga não é tão glamourosa e sexy quanto a primeira. Geralmente eu sou básica assim, se querem saber. Ainda tenho um pouco de receio de ser mais "ousada", mas estou no caminho. De qualquer forma, é um look muito confortável e versátil. Sabe aquela combinação neutra, que vai com tudo e com todos? É essa.


Usei essa blusa de renda (que é quase a minha segunda pele) com o short preto com spikes e quebrei o total black com a camisa jeans e o tênis dourado, mas também valeria um salto ou até mesmo uma sapatilha fofinha.


A camisa e o short são da C&A, a blusa eu ganhei a um tempão e não sei a marca e o tênis é da Ideale.


To tão básica que só me joguei no rímel, óh céus. Mas espero que gostem.

Fotos por Rubia Mara

17/05/2013

O que você tem ouvido?


A música que ouvimos no momento define a fase que passamos na vida, não é verdade? Nos leva de um transe a uma transa em questão de alguns plays. Pensando nisso, foi essa a pergunta que eu fiz para os meus amigos no facebook e para os "likers" da nossa fanpage (aliás, você já curte?).

Eu sou aquele tipo de pessoa alienada que tem as mesmas músicas desde 2011 no cartão de memória do celular, então às vezes sinto necessidade de me abrir em relação a isso. Aliás, eu amei as respostas, e até coincidiu de duas pessoas falarem que estavam ouvindo a mesma música, rs.

Montei uma playlist com todas elas, e espero que gostem!

O que você tem ouvido? by Ceres on Grooveshark

16/05/2013

A saga da camisa jeans #1


Posso ouvir coros de aleluia cantados por anjos ruivos porque eu postei do segundo look do blog! Bom, e a motivação é a seguinte: ganhei essa camisa jeans da C&A - que custou baratinho, aliás - e constatei que ela combina simplesmente com TUDO o que tenho no armário. Daí pensei que seria bem legal postar looks diferentes e para várias ocasiões, todos com a camisa, o que acham?


Dessa vez eu não aguentei esperar e me fotografei sozinha, mas da próxima vez me soltarei mais com as poses.



Como eu já disse, a nossa queridinha - camisa, se preferirem - é da C&A, o oxford é da Beira Rio e o vestido foi um ataque coletivo meu e da minha mãe por alguma peça de menininha no armário. E aí estamos!


Não surpreendi na maquiagem, mas enfim... espero que tenham gostado! Posso continuar a saga? Estou cheia de ideias!

15/05/2013

Inexistência


Minha vida está uma bagunça, minha mente está em desordem. Tão pouco a pensar, tanto a fazer e tanto a me afetar. Tanto tempo livre com tanta coisa a ser feita. Por que ainda estou aqui sentado na cama? Por que este peso me impede de continuar de pé e me impede de dormir ao mesmo tempo? A falta de problemas não deveria soar assim, tanto como um problema…

Me sinto em uma realidade paralela, onde eu não existo mas de alguma forma tudo o que é material me afeta. Só gostaria de uns cinco minutos de silêncio, sem todos estes sons ao fundo, silêncio o suficiente para inexistir na inexistência. E então existir. Sentir a tristeza aprisionada tão fundo dentro de mim finalmente ser posta para fora. Não verbalmente, pois ela não tem motivos para existir. Simplesmente ir embora, junto com toda essa zonzeira do não-haver. Sinto-me tão confuso… seria isso um prelúdio ou um castigo?

Mas a existência precisa de tempo, e eu não tenho tempo. Talvez eu deva prosseguir com este meu estado de prisão bipolar até ela ir embora, ou até eu ser capaz de fazer com que ela vá embora. Mas enquanto eu estiver atuando entre esses dois lados, quem seria eu? O meu ego do lado real, ou o do lado irreal? Afinal, quais as verdadeiras diferenças entre eles?


13/05/2013

Parceria: Make Beauty Store


Oi oi gente! Hoje eu vim para contar uma novidade: essa semana o blog conseguiu uma parceria com a Make Beauty Store! É uma loja nova, mas que oferece produtos de altíssima qualidade e bom gosto. Dá vontade de levar tudo, ainda mais pelos preços que são ótimos!

Então você me pergunta: "E daí Ceres, o que eu ganho com isso?" 
Bom, durante a negociação da compra, informando o nosso cupom - que é VITAL - ou dizendo que é leitor do Conspiração Vital você recebe 5% de desconto no pagamento através do depósito em conta.

Então que tal você ir lá na loja virtual, escolher vários produtos lindos, ganhar desconto e ainda receber tudo bonitinho no conforto do seu lar? Gostou da ideia?


Além de roupas lá você também encontra bolsas, relógios e muita maquiagem! ;)
E aí? Está pronta para as compras?

11/05/2013

10on10 maio: Azul

Bom, desde o mês passado eu me reuni com mais nove blogueiras para fazermos o projeto 10on10; onde nós dez postamos dez fotos todo dia dez. Sim, eu estou atrasada, mas vocês me entendem, né?

Cada mês nós selecionamos um tema diferente, e o primeiro foi azul! Nos dispomos a fotografar coisas do nosso cotidiano que tenham a cor azul. É óbvio que  eu me segurei horrores para não tirar as 10 fotos de céu, né? Vocês lembram da época do Orkut? Eu tinha um algum só te fotos de céu. Sou simplesmente apaixonada!

Enfim, eu tirei várias, mas separei essas. Têm umas novas e outras mais antigas. Como vocês poderão observar, eu não tirei só fotos de céu mas não dispensei mãos, né? Não adianta, minha cor favorita é azul!




Eu nadando (ou voando, sei lá).





A sombra azul intocada! (Tem gente que sabe do meu trauma com sombra azul, rs)


O All Star que comprei por causa da música. ♥



Aproveitando para dar feliz dia das Mães pra minha mãe! ♥ 

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.