13/06/2013

O Milionésimo Beijo

Meu nome soa muito mais bonito quando sai da sua boca. Fico em êxtase quando você puxa o "C", passeia pelo "E", vira a língua no "R", abre um pouco mais a boca num outro "E" e emenda o "S" no seu sorriso lindo. 

Sem mais delongas ou formalidade, lambi meus próprios lábios antes de lamber os seus. Os abri e os fechei para aprisionar o que é meu por direito. Se eu pudesse puxaria sua voz por ali, junto com a sua saliva, só para ouvir você dizer meu nome outra vez. Mal sabia se queria te ouvir ou te sentir.

Me apertei mais contra seu corpo, e ia passeando com a boca pelo seu rosto, pelo seu pescoço. Sua respiração fazia com que eu arrepiasse e desejasse que estivéssemos ainda mais próximos. 

Àquela altura estava escuro para que eu ainda enxergasse seus lábios se movendo, mas eu os sentia enquanto falava bem perto da minha orelha sobre o quanto me desejou daquela forma. Contabilizei mentalmente e depois te falei de todos os dias que passei pensando em nós. Confessei o quanto queria você para mim. 

Continuei curtindo seu peso em cima do meu corpo quando, de um ângulo em que eu podia te fitar, você repetiu meu nome. Fiquei te olhando enquanto você completava: "Eu te amo." 

Não te respondi, apenas te puxei novamente. 
- Vem cá, deixa eu te sentir. Deixa eu te ouvir. 
E te beijei mais um milhão de vezes.

2 comentários:

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.