13/07/2013

Bêbedo de ilusões

Ainda ontem abracei a escuridão e vi uma dança de ilusões. Era tudo tão mísero e belo, no ritmo certo, que eu me envolvi. Tentei apenas contemplar mas ao final eu já era mais um dos dançarinos iludidos. Vivíamos tentando convencer aos outros da mentira que dizíamos que éramos e acreditávamos na mentira dos outros também. Fora daquele breu, ninguém brilhava realmente.

E talvez por isso eu preferisse viver nesse lugar escuro para que pudesse ver as coisas irradiando de vez em quando. Um show de falsas belezas todos os sábados, qual o problema disso? Talvez eu devesse adequar às minhas sextas também. E quintas. E à semana inteira. Eu deveria mesmo é viver bêbedo para jamais ver a infelicidade das tardes comuns. Ter meus olhos sempre vermelhos de alegria.

Eu seria definitivamente popular. Todos adoramos essa gente bêbeda de fantasias, vivendo milhares de histórias e inventando outras milhares. Algumas nem dá para saber a que hemisfério pertencem. Talvez assim todo mundo gostasse de mim, e se não gostasse, ao menos me conheceria. Eu já não seria qualquer um. Eu seria uma zonzeira perdida na noite, sempre visto abaixo das estrelas como que abençoado por elas. A noite seria meu chapéu e a festa minha vida.


Um comentário:

  1. Todos nós somos bêbados de ilusões.. mas se elas não existissem, talvez não seria tão fácil viver.

    Beijinhos!!
    Meios Dias Gastos
    Facebook

    ResponderExcluir

© 2014 Conspiração Vital - Todos os Direitos Reservados | Design por Ceres Bifano, Diagramação por  Matheus Pacheco.